Crivella viaja para os Emirados Árabes em busca de investimentos

A primeira agenda oficial esta prevista para domingo, dia útil em Dubai, e abrange empresas do setor imobiliário e com o Ministério de Cooperação Internacional dos Emirados Árabes Unidos
 
O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, viaja para os Emirados Árabes na quinta-feira, dia 12, para compromissos oficiais. As agendas buscam investimentos para desenvolver Parceiras Público-Privadas e Operações Urbanas Consorciadas (OUC) para a Zona Oeste e para o Centro da cidade. Ao todo, os projetos preveem um investimento de R$ 40 bilhões por intermédio de venda de Certificados de Potencial Adicional de Construção, os Cepacs. 
 
 
A primeira agenda oficial esta prevista para domingo, dia útil em Dubai, e abrange empresas do setor imobiliário e com o Ministério de Cooperação Internacional dos Emirados Árabes Unidos. Na oportunidade, o prefeito também vai buscar parcerias para o desenvolvimento de infraestrutura e projetos sociais em comunidades carentes. 
 
 
Na segunda-feira, dia 16, Crivella participa do Fórum de Investimentos de Dubai e, no dia seguinte, o prefeito fará uma apresentação no Fórum de Investimento Sustentável sobre as ‘Oportunidades de Investimentos e Parcerias Público-Privadas na Cidade do Rio’. Dentre os projetos que o prefeito irá apresentar aos empresários, dois são no modelo de Operação Urbana Consorciada (OUC). A ideia é unir infraestrutura, mobilidade, urbanização e sustentabilidade, transformando a Barra da Tijuca e as Vargens num grande bairro. 
 
 
Além de desenvolver projetos para implantação de sistema de saneamento básico e de despoluição de lagoas, as operações preveem a expansão da linha 4 do metrô até o Recreio e Jacarepaguá.  
 
 
O Autódromo Parque, na região de Deordoro, é outra iniciativa que será apresentada. A proposta nasce sob novo conceito e prevê a concessão de um complexo de interesse automotivo com circuito cicloviário interno e equipamentos de lazer integrado ao Parque Radical. A Prefeitura pretende implantar outra Operação Urbana Consorciada no entorno para garantir a construção de edifícios comerciais, residenciais, escolas e unidades de saúde. Para este projeto os investimentos, ainda sem valor estipulado, serão exigidos a elaboração de um estudo ambiental; plano de arborização; sistema de captação de aproveitamento de águas pluviais; modelo de redução energética; projeto de rios e canais. A prefeitura também prevê a realização de um Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV). O projeto de mobilidade urbana precisa demonstrar como se dará a interligação entre os modais de transporte disponíveis na área e com o Parque Radical de Deodoro.
 

0 comentários