Ciência sem Fronteiras abre vagas em 6 países

Participarão instituições de ensino da Austrália, do Canadá, da Coreia do Sul, da Espanha, da Holanda e do Reino Unido
 

 

 

Até o dia 14 de janeiro, estudantes brasileiros poderão se inscrever para intercâmbio estudantil, por meio do programa Ciência sem Fronteiras (CsF), na modalidade Graduação-sanduíche, em seis países. A previsão para o início das atividades nas universidades estrangeiras é o mês de julho deste ano. As inscrições devem ser enviadas para o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Programa incentiva o intercâmbio de estudantes e a troca de conhecimentos sobre inovação e tecnologia
Participarão instituições de ensino da Austrália, do Canadá, da Coreia do Sul, da Espanha, da Holanda e do Reino Unido. Há chamadas para graduação em outros nove países, com o mesmo prazo de inscrição, pela Coordenação de Aparfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), agência responsável pela gestão do programa ao lado do CNPq.

Benefícios
Os valores das bolsas concedidas pelo CNPq variam de acordo com a moeda de cada País. O repasse dos de benefícios como os auxílios instalação, deslocamento e material didático, além do seguro saúde e taxa de matrícula, também será definido de acordo com as regras específicas de cada chamada.

As áreas que oferecem vagas nos seis países são: engenharias; ciências exatas e da terra; biologia, ciências biomédicas e da saúde; computação e tecnologias da informação; tecnologia aeroespacial; fármacos; produção agrícola sustentável; petróleo, gás e carvão mineral; energias renováveis; tecnologia mineral; biotecnologia; nanotecnologia e novos materiais; tecnologias de prevenção e mitigação de desastres naturais; biodiversidade e bioprospecção; ciências do mar; indústria criativa; novas tecnologias de engenharia construtiva; e formação de tecnólogos.
Entre os países com vagas abertas alguns incluem cursos ligados à indústria criativa, voltados a projetos e processos direcionados ao desenvolvimento tecnológico e de inovação. Podem se inscrever estudantes de arquitetura, design, software, jogos de computadores, cinema, vídeo, fotografia, música, artes, televisão, conteúdos digitais, editoração e publicação eletrônica.

Estudantes
Os graduandos brasileiros poderão permanecer por 12 meses para conclusão dos estudos em tempo integral. Há ainda a possibilidade da extensão da bolsa por até seis meses, para aperfeiçoamento de idioma do País para o qual o estudante foi selecionado. Parte deste período poderá ser dedicada a estágio de pesquisa ou inovação tecnológica, em instituições ou centros de pesquisa.

Critérios
O candidato deverá, obrigatoriamente, estar matriculado em algum dos cursos de graduação listado, ter frequentado no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo definido para seu curso no momento do início previsto da viagem de estudos, apresentar perfil de aluno de excelência, baseado no bom desempenho acadêmico segundo critérios da instituição de ensino superior, e apresentar teste de proficiência no idioma do país escolhido.

 

Assessoria

0 comentários