Consumidor pode economizar até R$ 8 mil na compra de veículo com selo do Inmetro

Programa mede eficiência energética de 327 modelos de veículos vendidos no país.
 

Consumidor pode economizar até R$ 8 mil na compra de veículo com selo do Inmetro

 
Consumidores que pretendem comprar um veículo novo em 2013 devem ficar atentos a mais um item na hora da escolha do modelo: a etiqueta de eficiência energética. O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) testou 327 veículos de 25 montadoras, em 2013, e o resultado pesa no bolso. Em carros classificados como fora de estrada (Off Road), a eficiência no uso de combustível entre um e outro modelo pode representar uma economia de mais de R$ 8 mil, em cinco anos. 
 
Para chegar aos resultados da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence), o Inmetro calculou a diferença dos gastos com combustível para percorrer um percurso diário de 40 quilômetros com os veículos mais e menos eficientes dentro de uma mesma categoria. 
 

Um carro subcompacto, por exemplo, faz em média 12,3 km com um litro de gasolina, contra 9,2 km dos menos eficientes. Num percurso diário de 40 km, em um ano, a economia pode ultrapassar R$ 950, ao optar pelo veículo classe A. Em cinco anos, o valor é superior a R$ 4,7 mil, o que representa até 20% do valor do próprio veículo.

 

Como já ocorre nos refrigeradores, aparelhos de ar condicionado, fogões, televisores e outros produtos, os veículos recebem etiqueta

 
 
 
com faixas coloridas de “A” (mais eficiente) até “E” (menos eficiente). 
inmetro.jpg

“Com a adesão de 25 fabricantes, 70% do volume de vendas no mercado nacional sairá da fábrica em 2013 etiquetado. O objetivo é estimular que o consumidor procure a etiqueta para comparar veículos de uma mesma categoria, auxiliando-o a tomar uma decisão de compra consciente”, explica o diretor de Qualidade do Inmetro, Alfredo Lobo. 

 

A Ence classifica os modelos quanto à eficiência energética na sua categoria e traz outras informações, como a autonomia em km por litro de combustível na cidade e na estrada, e a emissão de CO2, um dos gases responsáveis pelo efeito estufa e uma das novidades do ciclo. Confira a tabela completa no site do Instituto.

 

“Houve uma melhora de 5% na média dos consumos dos veículos A categoria subcompactos em relação ao ciclo 2012 e de 1% dos veículos A compactos, ou seja, o maior volume de vendas no mercado nacional, reduzindo em média 4,2% a emissão de CO2 para atmosfera nestas duas categorias”, completa Lobo.  

 
Projeto torna publicidade obrigatória
Atualmente, a participação dos testes do Inmetro é de livre vontade das montadoras nacionais. Projeto do presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), senador Clésio Andrade, propõe que a medida seja obrigatória. O PLS 38/2011 já foi aprovado pelo Senado e está pronto para votação na Comissão de Viação e Transporte da Câmara dos Deputados. 
 

De acordo com o senador, tornar a informação obrigatória vem ao encontro da iniciativa do Inmetro. “Se o consumidor vai ser informado sobre o consumo previsível do veículo, na hora da compra, é importante que ele também saiba o quanto de gases poluentes e CO2 aquele motor em movimento despejará na atmosfera, para que faça uma escolha consciente. Tanto para gastar menos combustível e economizar, como para poluir menos”, conclui.

 
 
Fonte:  Agência CNT de Notícias

0 comentários