Planilhas eletrônicas podem ajudar na organização do orçamento doméstico

Para a Febraban, é importante que a pessoas acompanhem diariamente ou semanalmente os gastos e que o cartão de crédito ou o cheque especial não seja utilizado como extensão do salário
 

A preocupação com as despesas de fim de ano e com os gastos do ano que começa tem deixado muitos brasileiros preocupados. É época de pagar o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), a matrícula, o material escolar e a fatura do cartão de crédito com despesas das férias e das compras de Natal.

 

 

Não há saída. O jeito é se organizar, pois a dívida já foi feita e não dá para voltar atrás. Quem está no vermelho tem agora que encarar a situação e procurar reduzir as dívidas para que elas não se tornem um problema ao longo de 2013.

 

 

Se você acha confuso fazer um orçamento doméstico, a saída pode ser recorrer à tecnologia, que cada vez mais tem socorrido aquelas pessoas que não gostam de anotações em papel e de fazer contas utilizando uma calculadora ao fim de cada semana ou mês. Sempre dá um pouco de trabalho, mas com boa vontade é possível sair do vermelho ou permanecer no azul ao longo do ano.

 

 

Basta procurar nos sites de busca que uma série de planilhas eletrônicas está disponível em diversos endereços na internet. Uma delas pode ser encontrada no site da BM&FBovespa. Além da planilha, no endereço é possível assistir a vídeos com várias orientações. Outra planilha, também com dicas, pode ser encontrada no site do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Ibdec).

 

 

Há ainda a opção de tabelas impressas para quem não gosta de usar o computador durante o planejamento. Um delas pode ser vista no site Meu Bolso em Dia, de iniciativa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Se a opção for usar a planilha, no mesmo endereço é possível encontrar várias delas.

 

 

Outra alternativa são os aplicativos. Essas ferramentas para quem não tem dificuldade de usá-las no computador podem ajudar na hora de organizar as contas. Um deles é o Jimbo, desenvolvido pela própria Febraban. Gratuito, pode ser uma boa saída para controlar as contas e não esquecer a data dos pagamentos. O programa tem dicas, permite várias entradas de dados e tem até um planejador de financiamento. Existe também uma versão para tablet e smartphone com Android que está disponível na loja de aplicativos da Google.

 

 

Outra ferramenta que pode ajudar as pessoas é a Calculadora do Cidadão, disponível no site do Banco Central (BC). A ferramenta permite simular situações com diversos cálculos a partir das informações fornecidas pelo usuário. O aplicativo também faz correções monetárias, utilizando séries históricas de taxas e indicadores financeiros armazenados no BC. Existe ainda uma versão para tablets e smartphones que pode ser baixada gratuitamente para quem usa o Android, sistema operacional desenvolvido pela Google, ou iOS, da Apple.

 

 

Para a Febraban, é importante que a pessoas acompanhem diariamente ou semanalmente os gastos e que o cartão de crédito ou o cheque especial não seja utilizado como extensão do salário. Ao procurar um agente financeiro em busca de crédito, é preciso avaliar se o empréstimo é o mais adequado para a situação. Evitar usar o crédito rotativo do cartão de crédito, que tem taxas elevadas, e ter uma poupança de emergência, também estão entre as dicas.

 

 

Pesquisa recente da Confederação Nacional do Comércio (CNC) mostra que o percentual de famílias com dívidas (em atraso ou não) neste mês chega a 60,2%, inferior ao de dezembro de 2012 (60,7%), mas superior à taxa de janeiro daquele ano (58,8%).

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.