Saúde reforça atendimento psicológico a familiares

A equipe da Força Nacional do SUS, composta por mais de 50 profissionais
 

Em entrevista coletiva realizada na manhã de terça-feira (29) no Hospital da Caridade em Santa Maria, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ressaltou a importância do atendimento psicológico que as equipes de saúde vêm prestando a parentes e amigos das vítimas do incêndio na boate Kiss, neste último domingo (27).

 

De acordo com o ministro, passado o primeiro momento de identificação, que acontecia no ginásio, agora, foi feito um mapeamento de onde estão os familiares e os hospitais que ainda têm vítimas internadas. “Profissionais especializados em saúde mental estão aqui em Santa Maria, nesse segundo momento, com outra estratégia que é a de acompanhar os familiares nos hospitais”, explicou.

 

Segundo ele, está sendo articulada uma rede de atendimento psicológico para esses familiares e amigos e, para adequar a demanda, profissionais de Porto Alegre estão sendo deslocados para Santa Maria. Além disso, o CAPS AD 2 (Centro de Atenção Psicossocial) de Santa Maria já está funcionando 24 horas, inclusive com atendimento de retaguarda de psiquiatria.

 

“Mapeamos junto com a universidade as famílias, as casas dessas famílias onde estavam esses estudantes porque temos que ter um cuidado especial com essas pessoas. O CAPS de Santa Maria está funcionando sem interrupção, então, familiares e amigos que estiverem dividindo esse momento de forte dor podem procurar esse serviço”, explicou.

 

O ministro detalhou ainda o trabalho em equipe realizado por todos os profissionais envolvidos no atendimento dos atuais 118 internados (Santa Maria e Porto Alegre). Entre esses, 75 encontram-se com ventilação mecânica e ainda correm risco de morte.

 

Segundo o ministro, apesar de já terem se passado 54 horas sem nenhum óbito hospitalar, a situação desses 75 pacientes anternados em estado grave é o que mais preocupa. “A evolução desses pacientes é a principal preocupação dos profissionais da Força Nacional do SUS, dos profissionais de saúde dos hospitais de referência onde estão os pacientes. Do final da tarde de ontem para cá, alguns evoluíram bem saindo da intubação, mas outros pacientes evoluíram para a ventilação mecânica”, disse.

 

A equipe da Força Nacional do SUS, composta por mais de 50 profissionais, continua reforçando o trabalho feito pelas equipes permanentes dos hospitais, da Defesa Civil, dos Bombeiros e da Força Aérea Brasileira.

 

Foram realizadas doze remoções de pacientes para Porto Alegre. Com esta estratégia, a rede de atenção à saúde de Santa Maria já conta com 30 leitos de UTI disponíveis para o atendimento de casos que possam se agravar. Esses leitos também poderão ser utilizados para atendimento daqueles que por ventura ainda apresentem sintomas em decorrência da inalação da fumaça.

 

Agência Brasil

0 comentários