Mais recursos para a rede de Tele-emergência e Tele-UTI

A meta inicial é implantar e manter 200 pontos remotos, em cinco estados
 

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou na sexta-feira (15) em São Paulo parceria com o Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da USP (Incor) para implantação de uma rede informatizada de apoio à assistência em ambientes de emergência e de tratamento intensivo. O investimento e o custeio do Ministério da Saúde somam R$ 20 milhões. A iniciativa permite que profissionais de prontos-socorros, Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) e Unidades de Pronto Atendimento 24 Horas (UPA) tenham acesso a orientações de médicos especialistas, à distância e em tempo real. Também foram implantados cinco novos núcleos da Rede Universitária de Telemedicina (RUTE), que promove a educação em saúde a distância.

 

O ministro enfatizou na cerimônia, no Incor, em São Paulo (SP), a importância de uma rede voltada à área de urgência e emergência. A ferramenta será voltada à terapia intensiva e emergências relacionadas a doenças do coração, e vai promover agilidade e eficiência nas tomadas de decisão, com o objetivo de reduzir a mortalidade.

“Hoje nós temos um conjunto de informações e de ferramentas para a tomada de decisões. Mas o que faz de fato a diferença é a experiência de quem esta aqui, que pode ser compartilhada com os profissionais lá na ponta do sistema. Por mais que a gente tenha tecnologia da informação, ela deve servir especialmente para aproximar quem tem experiência de quem tem a necessidade”, ressaltou o ministro.

A meta inicial é implantar e manter 200 pontos remotos, em cinco estados – São Paulo (90), Bahia (35), Pernambuco (30), Paraná (30) e Distrito Federal (15). A distribuição dos pontos foi definida com os gestores estaduais, seguindo o critério populacional e as necessidades mais imediatas. Após implantação desta primeira proposta, o projeto será disponibilizado a todas as unidades federadas interessadas.

 

Assessoria

0 comentários