Prefeitura de Cubatão embarga supermercado onde mulher morreu após queda de marquise

Os trabalhos de limpeza das áreas afetadas continuam. Equipes do Serviço Móvel de Urgência (Samu) continuam percorrendo os bairros para checar se alguém precisa de atendimento
 

A prefeitura de Cubatão, na Baixada Santista, interditou na terça-feira (26) a loja da Rede Krill Supermercados, que fica no bairro Jardim Casqueiro, onde, na última segunda-feira (25), durante um vendaval, parte da estrutura do imóvel caiu provocando a morte de uma mulher.

 

A loja só poderá voltar a funcionar depois de efetuados os reparos e de o estabelecimento comprovar, por meio de laudos técnicos de engenharia e vistoria do Corpo de Bombeiros, que a edificação não oferece mais riscos.

 

Além da morte de Aline Domingues Barros Ribeiro, 27 anos, a queda parcial da marquise ocasionou ferimentos leves no marido dela, Vinícius Elias Moreira, 26 anos. Também foram danificados três carros, uma motocicleta e várias bicicletas que estavam estacionadas no local.

 

A tragédia ocorreu três dias após Cubatão ter sido devastada por inundações que deixaram um saldo de pelo menos 473 desabrigados. As famílias afetadas pelas enchentes ocorridas nos bairros erguidos em encostas, Pilões e Águas Frias e Vila Noel, continuam ocupando, em situação provisória, as instalações de escolas municipais e do Centro Esportivo Castelão da Igreja Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

 

De acordo com a prefeitura, equipes da Defesa Civil municipal e estadual estão finalizando relatórios técnicos sobre os desabamentos e as estruturas abaladas para que os dados sejam confrontados com o cadastro de desabrigados para que essas pessoas sejam atendidas pelos projetos de moradia popular. A prioridade será dada a 30 famílias que já estavam inscritas nos programa habitacionais.

 

Ainda em consequência das enchentes permanecem suspensas as aulas em 37 das 58 escolas municipais. A maioria delas passa por trabalhos de limpeza e a previsão é de que os alunos possam retornar às aulas na próxima segunda-feira (4).

 

Cerca de 1,5 mil pessoas que ocupam os espaços públicos e aquelas que estão em casas de parentes e de amigos ou na própria residência afetada estão recebendo auxílio da Prefeitura por meio das doações e atendimento psicológico. As maiores necessidades são alimentos e artigos de higiene pessoal. Os donativos podem ser entregues na Escola do Parque Novo Anilinas (entrada pela Rua Assembleia de Deus), no Centro.

 

Os trabalhos de limpeza das áreas afetadas continuam. Equipes do Serviço Móvel de Urgência (Samu) continuam percorrendo os bairros para checar se alguém precisa de atendimento. Médicos e enfermeiros dão plantão nos abrigos. Mais de 4 mil pessoas já foram atendidas, desde o último sábado.

 

O temporal da última sexta-feira (22) também provocou queda de barreira na Rodovia dos Imigrantes, que liga a cidade de São Paulo à Baixada Santista e a interrupção do tráfego no sentido São Paulo por 31 horas. Ontem, quando voltou a chover na região, as pistas centrais nesse trecho tiveram, novamente, de ser bloqueadas ao tráfego.

 

Segundo a concessionária Ecovias, que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes, a interdição foi momentânea e durou cerca de 20 minutos, a partir das 17h20 para fossem feitas manobras de uma máquina usada para limpeza do sistema de drenagem no local. A circulação continuou na faixa da direita. Já na Anchieta houve interdição por 30 minutos, ontem (26) à noite, na pista central nos dois sentidos por causa de alagamentos provocados por transbordamento do Ribeirão dos Couros, no trecho de Planalto, próximo ao ABC paulista.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.