Rio de Janeiro terá dezoito projetos na maior feira de Ciências e Engenharia

Os trabalhos foram selecionados entre mais 1.800 e estarão em exposição na 11ª edição FEBRACE, que acontece em São Paulo, de 12 a 14 de março.
 

Carteira antiperda, controlador programável de consumo de energia e polímero semiorgânico são exemplos de alguns dos dezoito projetos, realizados por estudantes do Rio de Janeiro, que estarão em exposição na 11ª edição da FEBRACE (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia). O evento será realizado de 12 a 14 de março, nas dependências da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), em São Paulo.

 

Promovida anualmente pelo Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI) da Poli, a FEBRACE tem o objetivo de despertar nos jovens o interesse pela ciência, estimulando a criatividade, a inovação e o empreendedorismo entre estudantes pré-universitários. Nesta edição, foram selecionados, de todo o País, 330 trabalhos de todas as áreas do conhecimento, desenvolvidos por 740 estudantes do ensino básico com o apoio de 291 professores. Os projetos, a exemplo das edições anteriores, oferecem soluções alternativas – muitas vezes inovadoras – para problemas da sociedade.

 

Os finalistas foram selecionados entre 1.898 trabalhos submetidos diretamente pelos estudantes ou indicados pelos organizadores das 65 feiras afiliadas – mobilizando mais de 22.500 estudantes. No evento, os projetos serão avaliados por uma comissão julgadora. Os autores dos melhores trabalhos ganharão diversos prêmios – de medalhas a bolsas de iniciação e estágios. Também serão selecionados nove estudantes para representar o Brasil na Feira Internacional de Ciências e Engenharia da Intel (Intel ISEF), que neste ano acontece Phoenix, Arizona (EUA), de 12 a 17 de maio.

 

Potencial de talento – Segundo a coordenadora geral da FEBRACE, Roseli de Deus Lopes, a experiência de participar de pesquisas e mostras científicas, durante a educação básica, torna o estudante mais capacitado para observar situações, criar hipóteses, elaborar soluções, expressar suas ideias de múltiplas formas, fazer escolhas e tomar decisões, não apenas em questões relacionadas aos seus projetos de Ciências e Engenharia, mas também no contexto de seus projetos de vida.

“Não podemos subestimar a capacidade dos estudantes em fazer pesquisas com grande profundidade e complexidade. Eles são capazes de desenvolver soluções simples para problemas grandes e complexos do cotidiano”, ressalta. “Estimulando a cultura investigativa nas escolas, abrimos espaços para que jovens se descubram, desenvolvam seus talentos e assim contribuam para o desenvolvimento do País”, finaliza.

SERVIÇO

Lista dos projetos: encontra-se no site da 11ª FEBRACE (http://febrace.org.br/finalistas-e-premiados/)

 

Local da mostra: Mega tenda climatizada, com 2.500m2, localizada ao lado estacionamento da Escola Politécnica da USP (Av. Prof. Luciano Gualberto, travessa 3, nº 380, Cidade Universitária, São Paulo). A entrada é franca e a Feira ficará aberta ao público de 12 a 14 de março, das 14 às 19 horas.

ATENDIMENTO À IMPRENSA

FEBRACE | elena@lsi.usp.br; felopes@lsi.usp.br

0 comentários