COB realiza vistoria em seis cidades para os Jogos Escolares da Juventude

Objetivo é avaliar infraestrutura e instalações das cidades que receberão ou se candidataram para receber os Jogos
 

Ao longo dos meses de março e abril, representantes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) visitarão quatro regiões do país para avaliar a infraestrutura e as instalações esportivas das cidades que receberão ou se candidataram para receber os Jogos Escolares da Juventude. O roteiro tem início pelos dois municípios que organizarão as edições de 2013 da maior competição esportiva escolar do país: Natal (RN) e Belém (PA). Depois, o grupo segue para avaliar as candidatas a organizar o evento em 2014: Porto Alegre (RS), Goiânia (GO), João Pessoa (PB) e Recife (PE).

 

A partir deste domingo, dia 3, um grupo de sete representantes do COB desembarca na capital do Rio Grande do Norte, sede da etapa para alunos de 12 a 14 anos, onde fica até o dia 6. De lá, segue para Belém, onde, a partir do dia 7, avaliarão as condições da cidade que receberá a fase de 15 a 17 anos. As visitas serão lideradas pelo Gerente Geral de Juventude e Infraestrutura do COB, Edgar Hubner. Nestas cidades, o COB se reunirá com governadores, secretários, autoridades locais e empresários do setor hoteleiro. Além disso, visitarão ginásios, pistas, piscinas, hospitais e universidades. “As visitas precursoras são essenciais para o sucesso do evento. Procuramos avaliar as condições dos locais de competições e da infraestrutura das cidades para receber o evento. Em alguns casos, o COB procura apontar melhorias para que a cidade seja beneficiada com a realização da competição. A parceria com os governos locais é fundamental para o êxito da organização”, destaca Edgar.

 

Os Jogos Escolares da Juventude 2013 acontecem em Natal de 4 a 14 de setembro. Já a etapa de Belém será realizada de 7 a 16 de novembro.

 

Já a agenda da avaliação das condições das cidades candidatas aos Jogos de 2014 inclui vistorias a possíveis locais de competições e instalações não esportivas, além de reuniões com as prefeituras, secretarias e associações hoteleiras. “No caso das cidades candidatas, além da vontade política, é essencial que sejam apresentadas todas as condições técnicas para receber o evento. Para alcançarmos o alto nível de organização exigido, estabelecemos uma série de rigorosos critérios que devem ser garantidos pelas cidades. A cada ano, percebemos que mais municípios demonstram interesse em receber os Jogos Escolares da Juventude e para isso estão assumindo o compromisso de se estruturem cada vez mais”, avaliou Hubner.

 

Os Jogos Escolares da Juventude reúnem, a cada ano, em suas duas etapas nacionais, cerca de 4 mil alunos-atletas de todo o país. Ao todo, a competição tem a participação de cerca de 6 mil pessoas envolvidas por etapa, incluindo voluntários, treinadores, médicos organizadores, entre outros. Para as cidades que recebem os Jogos, a movimentação econômica é um dos grandes benefícios. Em Cuiabá, na edição de 2012 para jovens de 15 a 17 anos, foram utilizadas mais de 27 mil diárias em 24 hotéis da cidade. A estimativa de giro financeiro para a cidade durante o evento foi de mais de R$ 5 milhões.

 

Na etapa de 15 a 17 anos, serão disputadas 13 modalidades (atletismo, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia e xadrez). Já a competição para atletas de 12 a 14 anos tem o badminton e não conta com o vôlei de praia.

 

Realizadas pelo Comitê Olímpico Brasileiro desde 2005 com o nome de Olimpíadas Escolares para estimular a prática esportiva nas escolas e auxiliar a descoberta de jovens talentos para o esporte de alto rendimento, em 2013 o evento passou a se chamar Jogos Escolares da Juventude. Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico Brasileiro e correalizados pelo Ministério do Esporte e Organizações Globo, com o apoio dos Governos locais. 

 

Fonte – COB

0 comentários