Câmara: Constituição e Justiça aprova publicação de biografias não autorizadas

Ministro das Comunicações diz que regular mídia não é prioridade em 2013
 
 
 
Na terça-feira (2/4), o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, reafirmou pouco ser favorável à regulamentação da mídia “como qualquer outro segmento” e “nos termos do que prevê a Constituição Federal”, mas disse ser a favor de uma lei para regular o direito de resposta, informou O Estado de S. Paulo. 
 
 
Ministro disse que se apresentado, Dilma avaliará regulação da mídia
Bernardo ressaltou que a Constituição não permite censura e garante livre expressão. O ministro explicou ainda que a prioridade do governo em 2013 é um grande plano de investimento em infraestrutura em telecomunicações.
 
 
 
Ele deixou claro que o marco só poderá regular serviços públicos sob o regime de concessão, como rádio e televisão, e não internet, rádio e jornais, e avaliou ainda a necessidade de se discutir a questão de oligopólios no setor de comunicações.
 
 
O ministro evitou o embate com a presidente Dilma Rousseff, que seria contrária ao projeto de regulamentação, mas afirmou que ela poderia discutir o projeto caso lhe fosse apresentado. 
 
 
 
Portal Imprensa

0 comentários