Aeroportos funcionaram normalmente no primeiro fim de semana da Copa das Confederações, diz secretaria

O secretário dos Aeroportos, Juliano Noman, informou que houve um reforço no número de funcionários nos terminais
 

O funcionamento dos aeroportos desde o começo da Copa das Confederações está “absolutamente normal”, disse nesta segunda-feira (17/06) Moreira Franco, ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil (SAC). De acordo com ele, até o fim da Copa das Confederações, equipes vão acompanhar os trabalhos nos aeroportos e buscar soluções para eventuais problemas que possam ocorrer. “Tem um plano que coordena toda a operação tanto no espaço aéreo como no espaço aeroportuário e tem um plano de contingência para cada aeroporto das cidades onde a Copa das Confederações está sendo realizada e com o objetivo garantir o pleno funcionamento em um momento em que há pressão maior sobre o sistema”, ressaltou.

 

O secretário dos Aeroportos, Juliano Noman, informou que houve um reforço no número de funcionários nos terminais. Segundo ele, servidores da própria SAC, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), da Polícia Federal, da Receita Federal, de órgãos de Vigilância Sanitária e das companhias aéreas. “Todos estão trabalhando em regime de plantão absoluto. Temos um centro de comando que funcionará 24 horas até o fim da Copa das Confederações”, declarou.

 

Noman disse, que até agora, não houve registros que pudessem atrapalhar a regularidade das operações. Segundo o secretário, no sábado (15/06) os aeroportos operaram com a média de 8,5% de atraso, o que de acordo com ele, indica normalidade. No Internacional Galeão/Tom Jobim, no Rio de Janeiro, e no aeroporto de Recife o atraso ficou em 11%, Brasília com 10%, Salvador 13% Confins (BH) 5,4%, Fortaleza 5% e Santos Dumont (RJ) 1,6%. No domingo, a média caiu para 4% de atraso. “O indicador de atraso é o principal índice para mostrar como fluiu o movimento nos terminais e como a operação está tranquila”, disse.

 

O presidente da Agência Nacional de Aviação (Anac), Marcelo Guaranys, destacou que vários aeroportos estão em obras e a preocupação da Anac era que as obras não impactassem o fluxo de passageiros. O número de fiscais da agência também foi ampliado para o período da Copa das Confederações. “Em todos os aeroportos que temos postos, nós temos de cinco a dez pessoas. Durante o evento, colocamos mais 220 servidores distribuídos em dez aeroportos”.

 

Moreira, Noman e Guaranys deram entrevista à imprensa, nesta segunda, no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, para analisar a operação dos aeroportos no primeiro fim de semana da Copa das Confederações.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.