Ano do Brasil em Portugal entra na reta final com programação diversificada

A promoção do Ano do Brasil em Portugal custará cerca de R$ 19 milhões. Os recursos são da Funarte, do Ministério das Relações Exteriores e do Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur)
 

 Será encerrado na próxima segunda-feira (10) o Ano do Brasil em Portugal – a mostra de dez meses sobre a produção cultural brasileira, promovida pela Fundação Nacional de Artes (Funarte) com o apoio da Embaixada do Brasil em Lisboa – para atualizar a visão dos portugueses sobre a criação nacional de música, dança, teatro, cinema, fotografia, artes plásticas e literatura.

 

 

Dez de junho é o Dia Nacional de Portugal e deverá coincidir com cúpula dos governos lusitano e brasileiro em Lisboa. A presença da presidenta Dilma Rousseff é aguardada no encerramento do Ano do Brasil em Portugal, que terá show com a cantora Maria Bethânia.

 

 

Na última semana do Ano do Brasil em Portugal, a programação será intensificada com atrações gratuitas ou a preços reduzidos (até 5 euros ou R$ 13,5). No Espaço Brasil, o principal local para a realização de eventos em Lisboa (na LX Factory, Bairro de Alcântara) haverá shows de terça-feira (4) a domingo (9). Entre as atrações estão José Miguel Wisnick, Ná Ozzetti e Ed Motta. Conforme o dia, os shows começam às 21h ou às 22h.

 

 

Na sexta-feira e no sábado (7 e 8), no mesmo Espaço Brasil (a partir das 9h30), haverá o Encontro Luso-Brasileiro de Territórios Criativos, para o intercâmbio de conhecimentos e experiências sobre a criatividade como motor do desenvolvimento. No domingo, serão exibidas peças produzidas pelo Polo Joalheiro do Pará, na exposição Cultura e Natureza – O Luxo do Design, Moda e Manualidades da Amazônia.

 

 

A partir de terça-feira (4), no cineclube que funciona também no Espaço Brasil, serão reapresentados documentários já mostrados durante a programação do Ano do Brasil em Portugal, como Waldick, de Patrícia Pillar; Rock Brasília, de Wladimir Carvalho, e Canção do Exílio, de Geneton Moraes Neto. As sessões começam às 21h30.

 

 

Filmes brasileiros inéditos em Portugal poderão ser vistos a partir de quinta-feira (6) no Centro Cultural de Belém, em sessões à tarde e à noite (das 14h30 às 20h30). A programação inclui A Música segundo Tom Jobim, de Nelson Pereira dos Santos, Flores Raras, de Bruno Barreto, e A Busca, de Luciano Moura.

 

 

Fora de Lisboa, em Alcobaça, poderá ser vista a exposição Obranome, que reúne trabalhos de vários artistas plásticos. No Porto ocorrerá a exposição Pneumática, do artista plástico Paulo Paes. O Porto também receberá o concerto de Bethânia (dias 7 e 8, sexta-feira e sábado).

 

 

Conforme a Funarte, o Ano do Brasil em Portugal, iniciado em 7 de setembro do ano passado, promoverá, até o dia 10, 294 eventos, entre eles 119 shows musicais, 56 peças de teatro, 26 exposições de arte visual, 25 eventos multimídia, 16 promoções literárias, além de 11 espetáculos de dança. Até abril, a estimativa de público nas diversas modalidades era 200 mil espectadores.

 

 

A promoção do Ano do Brasil em Portugal custará cerca de R$ 19 milhões. Os recursos são da Funarte, do Ministério das Relações Exteriores e do Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur). Os organizadores do Ano do Brasil em Portugal ainda discutem a viabilidade de manutenção de algumas atividades e buscam patrocínios para a extensão do prazo de funcionamento do Espaço Brasil em Lisboa.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.