Deputado Donadon se entrega à Polícia Federal

Ele foi condenado a 13 anos de prisão, pelos crimes de peculato e formação de quadrilha
 

 

Com mandado de prisão expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado federal Natan Donadon (PMDB-RO) se entregou à Polícia Federal, em Brasília, no final da manhã desta sexta-feira. A rendição ocorreu na avenida L2 Sul, para despistar a imprensa que se aglomerava em frente à Superintendência Regional da PF.

 

 

Segundo uma fonte da Polícia Federal, a rendição foi combinada com o superintendente regional da PF, Marcelo Mosele. Ele e mais dois agentes estavam em um carro descaracterizado e buscaram Donadon em um ponto de ônibus por volta das 11h15. O deputado foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passará por exame de corpo de delito, e em seguida será encaminhado à Superintendência.

 

 

A informação foi confirmada pelo gabinete do deputado e pela a Superintendência Regional da PF no Distrito Federal. O Terra entrou em contato com a defesa de Donadon, que até as 12h15 não havia se manifestado.

 

 

Na quarta-feira, depois de expedido mandado de prisão contra o parlamentar, a defesa de Donadon fez um acordo com a Polícia Federal para que ele se apresentasse espontaneamente até as 12h de quinta-feira. O acordo, entretanto, foi descumprido. Agentes da PF continuam à procura do deputado. Na noite de quarta-feira, os agentes estiveram no apartamento funcional do parlamentar, mas não o encontraram.

 

 

Donadon, segundo sua assessoria, está em Brasília. O deputado foi condenado em outubro de 2010 pelo Supremo a 13 anos, quatro meses e 10 dias de prisão por peculato e formação de quadrilha. Na quarta-feira, a Corte rejeitou o último recurso do parlamentar para evitar o cumprimento da condenação e a ministra Cármen Lúcia expediu o mandado de prisão. Ontem, o diretório regional do PMDB de Rondônia anunciou a expulsão de Donadon dos quadros do partido.

 

 

Cassação
Servidores da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara seguem para a Superintendência da PF para notificar Natan Donadon da representação apresentada pela Mesa Diretora da Casa, que pede a cassação do seu mandato. A notificação tem de ser pessoal e assinada pelo próprio deputado. Só então começa a contar o prazo de cinco sessões ordinárias para apresentação da defesa de Donadon junto à comissão.

 

Com informações da Agência Câmara  e do Portal Terra

 

0 comentários