Repórter fotográfica é agredida em pronto-socorro

Mary foi agredida por segurança enquanto registrava imagens para uma pauta
 

Há 27 anos na profissão, a repórter fotográfica do Midianews, Mary Juruna, foi agredida enquanto registrava imagens para uma pauta de denúncia. O caso aconteceu nessa segunda-feira, 3, em Cuiabá. A profissional diz que a agressão a fez voltar ao tempo da ditadura.

 

agressao0406

(Imagem: Mary Juruna)

 

Mary estava produzindo conteúdo para reportagem sobre revista no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá. Segundo apurações do Midianews, a atual prefeitura terceirizou a empresa Integral Segurança para revistar todos antes de entrar no hospital. 

 

 

Nas imagens feitas pela repórter, é possível ver algumas pessoas que esperavam para passar a barreira dos seguranças. 

 

 

“Estava na rua fotografando quando um deles (segurança) veio na minha direção, colocou a mão no meu peito me empurrando e perguntou se eu tinha autorização para fazer imagens. Expliquei que o local era público e que não precisaria de permissão”. Em seguida, o segurança recuou e ligou para o “chefe” informando que tinha uma mulher registrando fotos do trabalho deles, segundo a repórter.

 

 

“As pessoas que estavam ali ficaram revoltadas, me deram apoio. Fiquei com a marca da agressão”, explicou. Com 55 anos de idade, Mary disse que nunca passou por uma situação tão complicada como essa. “Vivi parte da ditadura e é como rebobinar a fita ver que em pleno século XXI existem situações tão arcaicas”. 

 

A jornalista comentou que, no final, a pauta de denúncia acabou embutida na reportagem sobre a agressão, que foi publicada pelo site. Ela recebeu o apoio do diretor do Midianews, que a incentivou a fazer o boletim de ocorrência, além de contratar advogados para cuidar do processo. Segundo o Midianews, a prefeitura não se posicionou sobre o fato.

 

 

0 comentários