Saúde monta estratégia de monitoramento e assistência para os jogos

Centro em Brasília articulado com unidades em cada cidade-sede monitora ocorrências e organiza atendimento aos pacientes nos hospitais. Postos estão sendo montados próximos aos estádios
 

O Ministério da Saúde preparou uma estratégia de monitoramento das ocorrências em saúde e para a assistência da população durante a Copa das Confederações. O Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde Nacional (CIOCS) montado em Brasília, que está em comunicação com unidades nas cidades-sede e com os hospitais de referência para o atendimento de torcedores, concentra informações e decisões diante de qualquer problema de saúde, surtos, reações adversas ou mesmo desastres. Além disso, em todos os jogos, está sendo montado um posto de saúde próximo aos estádios.

 

A unidade de assistência deve funcionar a um raio de até 500 mil metros de distância dos campos de futebol. Essas unidades contarão com pelo menos duas ambulâncias do SAMU e até oito leitos.

 

Dentro dos estádios, o atendimento está sendo coordenado pela FIFA, que prepara uma estrutura com postos de atendimento, ambulâncias disponíveis, maqueiros, médicos e enfermeiros. Essa equipe conta com um médico do SUS que atuará na regulação dos casos que precisem de remoção.

 

O Ministério da Saúde investiu R$ 45,8 milhões na melhoria da Rede de Urgência e Emergência das cidades-sede, que receberam ainda 106 novas ambulâncias no valor de R$ 16,3 milhões. “É importante ressaltar que o Ministério da Saúde não disponibilizou recursos específicos para Copa. Os investimentos para fortalecimento das Redes de Urgência e Emergência, por exemplo, já estavam previstos para Regiões Metropolitana das capitais estaduais, o cronograma de implementação começou pelas cidades-sede. Desde 2011, o Ministério vem implementando o plano para readequação da redede urgência e emergência em 30 regiões metropolitanas”, destaca o secretário executivo adjunto, Adail Rollo.

 

MONITORAMENTO – O Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde Nacional (CIOCS Nacional) e suas unidades regionais nas cidades-sedes contam, cada um, com cerca de 10 profissionais em escala de plantão durante os jogos. A sala de situação começou a funcionar dia 13 de junho e fica ativa até o dia 2 de julho. O CIOCS nacional será alimentado por informações enviadas pelos CIOCS regionais montados nas cidades-sedes. Serão monitoradas a situação de saúde e a capacidade de atendimento de cada cidade onde os jogos serão realizados.

 

O Ministério da Saúde também vai enviar três representantes – das áreas de vigilância ambiental, epidemiológica, atenção à saúde e vigilância sanitária, além de outras áreas que estarão de sobreaviso, como a coordenação de laboratórios – para cada regional nas cidades-sedes da Copa das Confederações.

 

PLANOS DE CONTINGÊNCIAS – Ainda na área da assistência, o Ministério da Saúde elaborou dois planos de contingência. Um para acidentes químicos, biológicos e emergências radiológicas e nucleares em ação conjunta com o Ministério da Defesa (Forças Armadas), SAMU local e outro para Acidente com Múltiplas Vítimas, que envolve também Defesa Civil, Bombeiros e Segurança Pública.

 

Foram elaborados ainda Planos de Contingência dos Hemocentros Coordenadores (HC) dos seis estados que serão sede da Copa das Confederações. Esses planos estão alinhados com os planos de saúde locais para esses eventos.

 

IMUNIZAÇÃO – OMinistério da Saúde disponibilizou, para as cidades-sedes da Copa das Confederações, doses suplementares da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba. O objetivo foi reforçar o bloqueio na população brasileira, com especial atenção aos grupos vulneráveis que incluem os profissionais da rede de hotelaria, restaurantes e trabalhadores e voluntários que atuam nos eventos. O vírus do sarampo não circula no Brasil desde 2001, mas ainda está presente em países do continente europeu e asiático, por isso a importância da imunização. Foram administradas mais de 138 mil doses da vacina nas seis cidades.

 

INFORMAÇÕES – Para o turista brasileiro e internacional, o Ministério da Saúde criou a campanha Saúde do Viajante com orientações e telefones úteis para casos de emergência. Essa campanha está disponível no guia de saúde do viajante Como cuidar da sua saúde (livro de bolso), em cartazes e prismas para os hotéis. Esse material foi enviado aos municípios para distribuição durante a Copa das Confederações. Para ampliar o acesso a essas informações, o Ministério da Saúde lançou a página Saúde do Viajante, com dicas práticas e informações essenciais que irão ajudar o turista (brasileiro ou do exterior) a proteger a saúde.

 

Em caso de urgência e emergência, deve-se acionar o telefone SAMU 192. Outras informações de saúde poderão ser obtidas pelo Disque-Saúde 136 – Ouvidoria do SUS.

 

Assessoria

0 comentários