Blatter evita comentar tumulto no entorno do Maracanã

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, reafirmou, durante entrevista coletiva nesta manhã, que obras de mobilidade ubana e infraestrurua seriam realizadas no entorno dos estádios, independemente das competições internacionais
 

O presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter, evitou nesta segunda-feira (1º) comentar o confronto entre policiais e manifestantes, domingo (30/06), no entorno do Maracanã. Durante a partida final da Copa das Confederações, entre Brasil e Espanha, milhares de pessoas tentaram se aproximar do estádio, houve confronto e os policiais usaram sprayde pimenta e gás lacrimogêneo, que chegou a ser inalado dentro do estádio.

 

“Não vou discutir problemas internos que o país está enfrentando. O que disse, e repito, é que o futebol serve para conectar as pessoas e nós conectamos as pessoas”, disse Blatter.

 

De acordo com Blatter, que citou declaração dada pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador Local (COL), José Maria Marin, enquanto as manifestações são pacíficas, “não se pode ir contra elas, mas, quando começam os atos violentos, passam a ser uma questão de segurança”.

 

“Nunca dá para satisfazer a todos, e nós tentamos satisfazer, dizendo que o futebol não traz apenas entretenimento, mas emoção e esperança”, completou o presidente da Fifa, que saudou a torcida e a seleção brasileira e elogiou o Estádio do Maracanã, que, segundo ele, se confirmou como um “templo”, após a reforma.

 

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, reafirmou, durante entrevista coletiva nesta manhã, que obras de mobilidade ubana e infraestrurua seriam realizadas no entorno dos estádios, independemente das competições internacionais, e que não há dinheiro do governo federal na reconstrução das arenas esportivas.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.