FNP é consultada pelo Ministério da Saúde para melhorar o atendimento à população

A contratação de mais profissionais da área de saúde é um pedido da FNP que, com isso, chama a atenção para os problemas enfrentados pela população brasileira em função da falta de médicos na rede pública de saúde
 

Representantes do Ministério da Saúde consultaram os gestores municipais da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), para formulação de políticas públicas que promovam melhorias na infraestrutura e no provimento de mão de obra à população, nessa terça-feira (2), em Brasília.

 

 

Dentre os planos do governo federal está a autorização do oferecimento de vagas de emprego para médicos estrangeiros atuarem no interior do País. Esta proposta vai ao encontro da reivindicação da FNP, que lançou em janeiro deste ano, a campanha “Cadê o Médico?”.

 

Durante o encontro, os prefeitos tiveram acesso ao um diagnóstico preciso sobre a realidade da médica no Brasil. A carência destes profissionais foi retratada em números. Atualmente o Brasil tem 1,8 médicos por mil habitantes quando a média razoável é de 2,7 médicos por mil habitantes.

 

O desequilíbrio de oferta e demanda de médicos também foi enfatizada. “Temos poucos médicos no Brasil, além disso, a formação destes profissionais acontece em baixa escala no País. A carência destes profissionais é grande e este mercado de trabalho ainda está em expansão com o aumento da expectativa de vida dos brasileiros. No âmbito do SUS, precisaremos de 35 mil médicos até 2015. Ao mesmo tempo, espera-se a formação de apenas 18 mil profissionais”, explicou o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mozart Sales.

 

A vice-presidente da  para Assuntos de Finanças Públicas da FNP e prefeita de Guarujá, Maria Antonieta de Brito (PMDB), concorda com a iniciativa do governo federal de contratar médicos estrangeiros para suprir as carências na área de saúde dos municípios.  “Somos a favor a esta medida de fortalecimento do sistema de saúde no Brasil. Nós prefeitos sofremos na pele o problema da escassez de médicos e os reflexos disso para o prejuízo da população. Só que vive o desafio diário da administração pública com responsabilidade sabe o que passamos para oferecer serviços de qualidade à população”, disse a Antonieta

 

 

Informações para a imprensa| Rosely Rocha | Ex-Libris Comunicação Integrada

 

0 comentários