‘Emak Bakia’ é o grande vencedor do Cine Ceará 2013

O longa foi o melhor da 23ª. Edição do Festival
 

A 23ª edição do Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema, que aconteceu em Fortaleza, consagrou o longa espanhol (basco) “Emak Bakia” com o troféu Mucuripe de melhor filme na noite de sábado, 14, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC). O longa-metragem leva, assim, também, o prêmio de U$$ 10.000,00 (dez mil dólares) concedido pela organização do evento. O documentário de Oskar Alegria narra a busca de uma casa na costa basca, na qual o lendário artista norte-americano Man Ray fez seu primeiro filme de vanguarda em 1926 (“Leave me alone”). O filme levou ainda o troféu Mucuripe de melhor som (para Abel Hernández), além do Prêmio da Crítica e Prêmio Olhar Universitário.

 

 

Entre os títulos com maior número de prêmios, o brasileiro “Se Deus Vier que Venha Armado”, primeiro longa de Luis Dantas, levou três: direção, ator (Ariclenes Barroso) e fotografia (Hélcio “Alemão”Negamine). O melhor curta eleito pelo júri especializado foi “Jessy” (Bahia), de Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge. A lista completa dos premiados e jurados segue abaixo.

 

 

Antes, o ator Marcos Palmeira subiu ao palco do CDMAC para receber o troféu Eusélio Oliveira, honraria máxima concedida pelo Cine Ceará, por sua contribuição ao cinema nacional. O ator, que acabou de completar 50 anos – e já acumula 44 anos de carreira – atuou em mais de 30 filmes, entre eles, “Memórias do Cárcere” (Nelson Pereira dos Santos), “Um Trem para as Estrelas” (Cacá Diegues), “Carlota Joaquina” (Carla Camuratti) e o recente “Vendo ou Alugo” (Betse De Paula). Sobre ser homenageado ainda em um momento tão produtivo da carreira, Marcos Palmeira declarou: “fico agradecido com a homenagem e feliz, porque é um indício de que fiz as opções certas na minha carreira. Espero fazer jus a esse troféu mantendo a capacidade de entreter o público”.

 

 

Mostra Competitiva Ibero-Americana e Longa-Metragem

Troféu Mucuripe para todas as categorias e 10 mil dólares para o melhor longa

Melhor Longa: “Emak Bakia”, de “Oskar Alegria”

Melhor Direção: Luis Dantas por “Se Deus Vier que Venha Armado”

Melhor Fotografia: Hélcio “Alemão” Negamine por “Se Deus Vier que Venha Armado”

Melhor Edição: Luciano Origlio por “Mercedes Sosa”

Melhor Roteiro: Diego Fernández Pujol por “Rincón de Darwin”

Melhor Som: Abel Hernández por “Emak Bakia”

Melhor Trilha Sonora Original: Ney MatoGrosso por “Olho Nu”

Melhor Direção De Arte: Gonzalo Delgado por “Rincon de DArwin”

Melhor Ator: Ariclenes Barroso por “Se Deus Vier que Venha Armado”

Melhor Atriz: Laura de La Uz por “O Filme de Ana”

Prêmio Especial do Júri: “O Paciente Interno” – Pelo esforço investigativo. Pelo poder da história que resgata um conturbado período histórico da América Latina.

Jurados: António Costa Valente (Portugal), Diana Karklin (Rússia), Elena Soarez (Brasil), Jorge Abello (Cuba) e Tania Hermida (Equador)

 

Mostra Competitiva Brasileira de Curta-Metragem

Troféu Mucuripe para todas as categorias

Melhor Curta: “Jessy”, de Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge

Melhor Direção: “Sanã”, de Marcos Pimentel

Melhor Roteiro: “O que lembro, tenho”, de Raphael Barbosa

Melhor Produção Cearense: “O melhor amigo”, de Allan Deberton

Jurados: Pedro Pablo Lazzarini, Bruno Torres, Marcos Enrique Lopes, Armando Praça e Rita Dourado

 

Prêmio da crítica (Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema)

Longa-metragem: “Emak Bakia”, de Oskar Alegria

Curta-metragem: “Sanã”, de Marcos Pimentel

Jurados: Camila Vieira, Ivonete Pinto, Ailton Monteiro, Cynthia García (LatAm cinema, Argentina) e Leopoldo Muñoz ( CNNChile y el diario Las Últimas Noticias, Chile)

 

Melhor Filme da Mostra Olhar do Ceará

1º prêmio: “Meu Amigo Mineiro”, de Victor Furtado e Gabriel Martins (ganhador do Troféu Mucuripe, do prêmio Banco do Nordeste no valor de 5 mil reais e também do prêmio Vila das Artes – NPD – Núcleo de Produção Digital)

Pela forma inventiva como o filme articula a relação com a cidade a partir de um cinema de ficção trazendo um olhar afetivo pela cidade diferente do cartão postal.

2º prêmio: “A Rabeca”, de Irene Bandeira (prêmio Vila das Artes – NPD – Núcleo de Produção Digital)

Pela forma como o filme estrutura e articula os elementos da linguagem cinematográfica a partir de uma narrativa metalinguística.

 

Prêmio Olhar Universitário

Melhor Longa: “Emak Bakia”, de Oskar Alegria

Melhor Curta: “Mauro em Caiena”, de Leonardo Mouramateus

Troféu Oscarito: Coletivo Alumbramento

Jurados: Arthur Leite (Unifor), Débora Parente (Unifor), Ivys Danillo (Vila das Artes), Clara Bastos (UFC) e Lohayne Lima (UFC) – estudantes de cinema do Curso de Audiovisual da Universidade Federal do Ceará – UFC, do Curso de Audiovisual e Novas Mídias da Universidade de Fortaleza – Unifor, e do Curso de Realização em Audiovisual da Vila das Artes, equipamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza

 

Prêmio Aquisição Canal Brasil

Melhor curta-metragem da Mostra Competitiva (no valor de 15 mil reais): “Sanã” (MG/MA), de Marcos Pimentel

Jurados: Diego Benevides, Maria do Rosário Caetano, Luiz Zanin Oricchio, Paulo Henrique da Silva e André Bloc

 

Prêmio Banco do Nordeste

Melhor Produção com Temática Nordestina (curta ou longa escolhido pelo júri da crítica – no valor de 10 mil reais): “Mauro em Caiena”, de Leonardo Mouramateus

 

Cine Ceará 2013

O Cine Ceará, festival ibero-americano de cinema de Fortaleza, acontece entre 7 e 14 de setembro. De casa nova, o evento tem como sede esse ano o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. A 23ª edição presta homenagem a Portugal, com foco no “cinema contemporâneo” daquele país. A cineasta, atriz e cantora Maria de Medeiros e o ator Marcos Palmeira recebem o troféu Eusélio Oliveira, honraria máxima do festival, por suas contribuições ao cinema. Ela ainda ganhou uma mostra especial.

Oito longas-metragens ibero-americanos concorrem ao Troféu Mucuripe. Para a mostra competitiva de curtas-metragens, que se dá entre títulos brasileiros, foram selecionados 12 filmes. Os prêmios da crítica para melhor curta e longa-metragem serão concedidos pela Abraccine, Associação Brasileira de Críticos de Cinema. Para o melhor longa, de acordo com o júri oficial, será concedido um prêmio especial no valor de US$ 10 mil (dez mil dólares). Fora de competição, “Os Pobres Diabos” (Rosemberg Cariry) encerrará o festival. Com mostras, seminários e oficinas, a programação completa encontra-se no site  http://www.cineceara.com/.

O 23°Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, e do Ministério da Cultura, pela Secretaria do Audiovisual. O festival conta também com o apoio da Prefeitura Municipal de Fortaleza, via Secretaria da Cultura. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará, com patrocínio de empresas públicas e privadas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC) e da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet). O evento é apresentado pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Coelce e tem patrocínio VIP da Oi, Agrícola Famosa e Indaiá. Conta, ainda, com patrocínio da Aço Cearense, Banco do Nordest e e Caixa Cultural e com o apoio cultural da Oi Futuro.

 

Mais informações para a Imprensa:

ASSESSORIA NACIONAL RJ

Agência Febre

www.agenciafebre.com.br | Twitter @agfebre ; facebook.com/agfebre

 

 

ASSESSORIA LOCAL CE

AD2M Engenharia de Comunicação

www.ad2m.com.br | (85) 3258.1001

0 comentários