Fotógrafo da Futura Press que ficou cego por bala de borracha da PM processa o Estado de SP

O profissional pede uma indenização de R$ 1,2 milhão ao Estado
 

SergioSilva (1)
 

O fotógrafo Sérgio Andrade da Silva, ex-freelancer da agência Futura Press, entrou com uma ação indenizatória contra o Estado de São Paulo por ter perdido a visão do olho esquerdo, após ser atingido por uma bala de borracha de um policial militar enquanto cobria manifestação contra o aumento da tarifa do transporte público, em 13 de julho deste ano.

 

 

De acordo com o Conjur, o repórter fotográfico pede R$ 1,2 milhão de indenização por danos morais, materiais e estéticos causados por ato ilícito praticado por agente do Estado.

 

 

A petição aponta que as balas de borracha podem levar à morte se utilizadas de forma equivocada. Para o advogado, “há, ao menos, imprudência, pois não caberia atribuir imperícia a um agente estatal exaustivamente treinado”. 

 

 

A peça também inclui a declaração do comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo, Benedito Roberto Meira, de que o ferimento sofrido pelo fotógrafo é decorrente dos “riscos da profissão”.

 

 

PORTAL IMPRENSA

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.