Justiça impede Unimed Seguros de vender planos de saúde em São Paulo

A liminar, assinada pela juíza da 16ª Vara Civil de São Paulo Jacira Jacinto da Silva, afirma que a Unimed Seguros “utiliza indevidamente das informações a que teve acesso para captar os clientes da autora (a Unimed Paulistana) de forma ilegal”
 

A Unimed Seguros está enviando boletos bancários aos clientes da Unimed Paulistana com preços inferiores e um termo de adesão por portabilidade. Isso só é possível porque as operadoras de planos de saúde são obrigadas, pela Agencia Nacional de Saúde Suplementar, a vender os planos de adesão por meio de empresas terceirizadas. As investigações internas da Unimed Paulistana indicam que esta tentativa de roubo de sua carteira é feita por meio do cadastro da Qualicorp.

 

 

No sistema Unimed, cada cooperativa singular tem uma área de atuação limitada onde ela pode fazer vendas. A Unimed Paulistana pode fazer vendas em São Paulo e mais 29 municípios da região metropolitana, inclusive em Osasco e Mogi das Cruzes. As outras Unimedes não podem vender nessa área, assim como a Paulistana está impedida de vender fora de sua área de atuação.

 

 

“Nós temos uma carteira de 800 mil clientes próprios e atendemos mais de um milhão de clientes em intercâmbio. Não podemos deixar outras Unimedes entrar em nossa área de atuação,  patrimônio de nossos 2300 médicos cooperados”, diz o presidente da Unimed Paulistana, Dr. Paulo Leme Barros.

 

 

No sistema de cooperativismo que regula as Unimedes, as operadoras  singulares (Unimed Paulistana, por exemplo) montam federações estaduais e as federações formam uma confederação nacional. A Unimed do Brasil é a confederação nacional que foi criada para regular as relações entre as federações. Porém, a diretoria, se afastou de suas prerrogativas iniciais, criando a Unimed Seguros, uma sociedade anônima fora do sistema cooperativo.

 

 

Informações para a imprensa:

Ex-Libris Comunicação Integrada – (11) 3266-6088
Julio Moreira– ramal 233

0 comentários