O Movimento Mundial pela Infância da Latinoamerica e Caribe faz um chamado para aumentar a cooperação internacional com o foco na proteção infantil

A Plan International Brasil participa da aliança na promoção, proteção e defesa dos direitos das crianças e adolescentes
 

 

O Movimento Mundial para Infância da Latinoamérica e Caribe (MMI-LAC)*, aliança das principais organizações e redes que trabalham para proteção dos direitos da infância na região, hoje fazem chamado a cooperação internacional a aumentar investimento para reduzir a violência contra crianças e adolescentes, e garantir mecanismos eficazes de proteção a infância.

 

 

Durante os últimos 20 anos a América Latina e o Caribe avançaram significativamente na integração do enfoque dos direitos humanos de crianças e adolescentes em seus marcos jurídicos e políticos, e requerem o vital papel da cooperação internacional para responder aos graves índices de vulneração aos direitos de crianças e adolescentes na região.

 

 

Na América Latina são mais de 113 milhões de crianças e adolescentes vivendo na pobreza ou em pobreza extrema, o que afeta seu bem estar e vulnera seus direitos fundamentais (Cepal/Unicef) .Porém, mais da metade de crianças entre 0 e 6 anos padece de desnutrição e carece de estimulação e cuidados adequados, e menos de 60% chega a educação secundária.

 

 

“O investimento na infancia foi afetado pela crise econômica mundial e independentemente do contexto e dos avanços atuais, os governos devem examinar toda possibilidade para mobilizar recursos com o fim de cumprir com sua obrigação de assegurar que os direitos da criança sejam uma realidade”, destaca Ruth Santisteban representante do MMI-LAC.

 

 

Wanderlino Nogueira Neto, membro do Comitê das Nações Unidas sobre Direitos da Criança ,destacou o papel da sociedade civil na promoção e defesa de direitos através de coalisões regionais como MMI-LAC. “No contexto global onde o surgimento de novos atores tem mudado o ambiente político e as normas internacionais frente aos direitos humanos, a cooperação não pode ser usada como uma ferramenta de marketing ou imposição de poder, e sim como um caminho para a construção de uma sociedade civil global fortalecida e politicamente articulada”, afirmou.

 

 

Estas declarações foram feitas durante o Fórum Mundial de Direitos Humanos que se realiza esta semana em Brasília, onde também foram debatidos os avanços e as perspectivas na integração do enfoque de direitos humanos de crianças e adolescentes nos marcos jurídicos e políticas públicas nos 24 anos da Convenção dos Direitos da Criança.

 

 

Os estados tem un papel primordial em coordenar a participação de todos os atores, estatais e não estatais em unir esforços em torno a proteção infantil e investimento para prevenir a violência contra crianças e adolescentes.  O MMI-LAC, trabalha com as principais organizações de proteção da infância na America Latina e Caribe, contribuindo com a articulação de esforços para a incidencia em nível nacional, regional e global para que a proteção contra toda forma de violencia contra crianças e adolescentes faça parte dos objetivos de desenvolvimento do Milênio depois de 2015.

 

 

Maiores informações, entrar emcomunicaçãocom a Secretaria do MMI-LAC: secretaria@movimientoporlainfancia.org.

 

 

 

*O Movimento Mundial pela Infância da América Latina e o Caribe (MMI-LAC) é uma aliança estratégica das principais organizações e redes da região que trabalham na promoção, proteção e defesa dos direitos das crianças e adolescentes, integrada pela: Associação Cristã de Jovens (ACJ/YMCA), Aldeias Infantis SOS Internacional, Child Fund International, Defensa de Niñas y Niños Internacional (DNI), Instituto Interamericano del Niño (IIN) da OEA, Plan Internacional, Rede Latinoamericana e Caribenha pela Defesa dos Direitos de Crianças e Adolescentes (REDLAMYC), Rede ANDI Internacional, Save the Children, UNICEF e Visão Mundial Internacional, assim como por Child Helpline e ECPAT em qualidade de membros observadores.

 

 

O MMI-LAC fortalece a promoção e proteção dos direitos de Crianças e Adolescentes em América Latina e Caribe: a) Tendo um papel de mobilização social na promoção dos direitos de Crianças e Adolescentes, b) Articulando esforços para uma incidência política mais efetiva pelos direitos de crianças e adolescentes no espaço regional acompanhando e/ou apoiando iniciativas que surjam do nacional e/ou internacional, c) Promovendo o intercâmbio e a sistematização de experiências exitosas e boas práticas para a realização dos direitos das crianças e adolescentes, d) Apoiando e promovendo uma coordenação mais extensa e efetiva entre a sociedade civil organizada, as crianças e adolescentes os Estados e as agências e organismos internacionais e multilaterais.

 

 

Lead Comunicação | Tel.: +55 11 3168-1412

 

 

 

0 comentários