Brasil conta com mil Centros de Especialidades Odontológicas

A mais nova unidade foi inaugurada nesta quinta-feira (23) em São Paulo; em todo o Brasil, 808 municípios contam com centros, que oferecem serviços gratuitos à saúde bucal da população
 

O Brasil conta, a partir de hoje (23), com mil Centros de Especialidades Odontológicas (CEO). A milésima unidade, inaugurada em São Paulo (SP), foi viabilizada com recursos do programa Brasil Sorridente, do Ministério da Saúde, que está completando 10 anos e beneficia 79,6 milhões de brasileiros.

 

Para prestar atendimento à população nesses centros e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), o país conta com o trabalho de 23.150 Equipes de Saúde Bucal (ESB) espalhadas em 4.971 municípios – o que corresponde a uma cobertura de 89,2% dos municípios. Os mil CEO implantados estão distribuídos em 808 municípios. Somente em 2013 (até novembro), o Ministério da Saúde, por meio do programa Brasil Sorridente, investiu R$ 803 milhões, em todo o país, em recursos destinados às Equipes de Saúde Bucal (ESB) e investimentos nos CEO.

 

“O Brasil Sorridente, que está completando 10 anos, já é o maior programa público de saúde bucal do mundo”, destacou o ministro durante a inauguração do centro. “O país fazia menos de 100 mil próteses dentárias por ano. Terminamos 2012 fazendo 405 mil e, em 2013, chegamos a 415 mil próteses”, disse Padilha, ao se referir aos avanços conquistados pelo programa. O ministro também destacou que o Ministério da Saúde tem destinado recursos adicionais para os CEO que aderirem à Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência, que disponibiliza, além dos procedimentos normais, no mínimo 40 horas semanais para atendimento exclusivo a esse público. “Desde 2012 repassamos mais recursos para os CEO estarem preparados para atender bem pessoas com deficiência. Em São Paulo, dos 30 centros, 28 já ade riram”, ressaltou.

 

SERVIÇOS – Os CEO oferecem serviços gratuitos em saúde bucal à população, como tratamento endodôntico (canal), cirurgias, tratamento de gengiva e diagnósticos de câncer bucal. Em alguns casos, os CEO também viabilizam a colocação de implantes e tratamento ortodôntico. A unidade inaugurada em São Paulo conta com oito salas e 11 cadeiras odontológicas completas, sendo quatro exclusivas para procedimentos de prótese dentária.

 

Para a implantação do CEO, o Ministério da Saúde repassou R$ 120 mil para a compra de equipamentos e doou as cadeiras e seis compressores – equipamentos periféricos necessários ao funcionamento do serviço. Já o município fez investimentos na melhoria da estrutura física do prédio. A partir de agora, o centro também receberá do governo federal R$ 231 mil por ano em recursos de custeio para a manutenção. O local ainda conta com um Laboratório Regional de Próteses Dentárias, que amplia a oferta deste serviço à população pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Quando atingir plena capacidade, o laboratório produzirá 500 próteses por mês.

 

Atualmente, o estado de São Paulo conta com 189 CEO distribuídos em 148 municípios. Na capital paulista já são 30 centros desse tipo. Somente em 2013, até novembro, o Ministério da Saúde investiu R$ 73 milhões em Equipes de Saúde Bucal, Centros de Especialidades Odontológicas e Laboratórios de Próteses Dentárias no estado. O município de São Paulo recebeu, no mesmo período, mais de R$ 12,5 milhões.

 

BRASIL SORRIDENTE – Criado em 2004, o Programa Brasil Sorridente faz parte da Política Nacional de Saúde Bucal e prevê uma série de ações para facilitar e ampliar o acesso da população ao tratamento odontológico gratuito por meio do SUS.

 

Entre as medidas do programa, destacam-se as ações de promoção e prevenção, com viabilização da adição de flúor nas estações de tratamento de águas de abastecimento público; a reorganização da Atenção Básica em saúde bucal, principalmente com a implantação das Equipes de Saúde Bucal na Estratégia Saúde da Família; a ampliação e a qualificação da Atenção Especializada, especialmente com a implantação dos Centros de Especialidades Odontológicas e a reabilitação protética, por meio dos Laboratórios Regionais de Próteses Dentárias.

 

Agência Brasil

0 comentários