COB inaugura segunda turma da Academia Brasileira de Treinadores

Treinadores de judô, lutas e taekwondo participam da 2ª turma da ABT
 

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB), através do Instituto Olímpico Brasileiro (IOB), reuniu nesta terça-feira, dia 14, no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro, cerca de cem treinadores de judô, lutas associadas e taekwondo para aula inaugural da segunda turma da Academia Brasileira de Treinadores (ABT). A ABT tem o objetivo de complementar, por meio de atividades educacionais, a formação profissional de treinadores do esporte de alto rendimento, e, desse modo, contribuir de forma relevante para a conquista de resultados positivos no esporte olímpico brasileiro. Esta segunda turma se forma em novembro de 2015.

 

O evento teve a presença do presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman; do diretor executivo de esportes da entidade, Marcus Vinicius Freire; e do Superintendente do IOB, Augusto Heleno Pereira, além de presidentes, diretores e coordenadores técnicos das confederações brasileiras olímpicas participantes do curso. “Uma das maiores alegrias que tenho como dirigente foi a criação do Instituto Olímpico Brasileiro. A grande importância da ABT é termos aqui uma comunidade de treinadores dividindo opiniões e instruções. Certamente muitas boas ideias surgirão ao longo do curso”, afirmou Carlos Arthur Nuzman. “Vocês são os formadores do futuro do esporte olímpico brasileiro”, completou Nuzman.

 

A palestra de abertura do curso foi ministrada pelos treinadores olímpicos de judô, Luiz Shinohara, da seleção masculina, e Geraldo Bernardes, ex-técnico da seleção e atual coordenador do Instituto Reação, com o tema “O Treinador Campeão”. Ambos transmitiram suas experiências, conhecimento técnico e responsabilidades, abordando ainda os desafios do treinador moderno e a perspectiva para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

 

Comandante da seleção brasileira masculina de judô em quatro Jogos Olímpicos e treinador de diversos ídolos do esporte nacional, como Aurélio Miguel, Rogerio Sampaio, Flavio Canto e Rafaela Silva, Geraldo Bernardes apresentou aos alunos diversos casos de sua rica carreira no judô. “Gostaria de agradecer ao COB pela realização da ABT. Na minha época, não existia isso. Este é o caminho. Hoje existe uma trajetória para se tornar treinador olímpico. Basta dedicar-se, engrandecer e trilhar o seu conhecimento. Espero que todos aproveitem esta oportunidade”, explicou Geraldo Bernardes.

 

Luiz Shinohara e alguns dos principais treinadores do país nas três modalidades são alunos desta segunda turma da ABT. Ao todo, 110 treinadores participaram da segunda turma da ABT. Todos participaram de um processo de seleção dividido em etapas: processo de inscrição, prova e análise de currículo, contemplando resultados esportivos e acadêmicos.

 

A segunda turma iniciou suas atividades em dezembro de 2013, com o módulo de ensino a distância. Haverá ainda módulos práticos, com estágios com profissionais renomados no mercado nacional e internacional. O aluno/treinador formado pela ABT receberá um certificado que o denominará Treinador Nacional em Esporte de Alto Rendimento, na área de Desenvolvimento Esportivo ou Aperfeiçoamento Esportivo, dentro da classificação que lhe for concedida, de acordo com os seus resultados esportivos.

A primeira turma da ABT teve início em 2012, e já está na metade do curso, com previsão de formatura para o final de 2014. As modalidades olímpicas contempladas na primeira turma foram: Atletismo, Ginástica Artística e Natação.

 

Haverá processos de seleção anuais para a formação de próximas turmas e a ideia é atender, a cada ano, em média três modalidades olímpicas diferentes. O objetivo é atender 17 modalidades olímpicas até 2019. Os critérios de escolha das modalidades para participar da ABT são: modalidades com grande potencial no Plano Estratégico do COB; modalidades com elevado número de medalhas em jogo; modalidades individuais.

 

COB

0 comentários