Ministério Público Federal vai acompanhar transferência de alunos da UGF

O procurador-geral também confirmou que, na esfera criminal, já existem dois procedimentos instaurados para apurar a situação da instituição
 
Universidade Gama Filho

Universidade Gama Filho

 

Em audiência solicitada pelo CREMERJ e pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) ficou acertado que Ministério Público Federal (MPF) acompanhará de perto o processo de transferência dos alunos da Universidade Gama Filho para outras instituições.

 av

Participaram do encontro o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, o conselheiro e 2º vice-presidente do CFM, Aloísio Tibiriçá, os representantes dos estudantes da Gama Filho Edvaldo Guimarães e Fernanda Lopes, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

 

 

Na reunião, Janot afirmou que pedirá à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), órgão integrante do MPF, que reporte a ele as deliberações da comissão do Ministério da Educação (MEC) responsável por conduzir o processo de transferência assistida dos alunos. Após avaliar as informações da Procuradoria, que no dia 13 de janeiro participou da primeira reunião da comissão ministerial, o procurador-geral afirmou que irá convidar os representantes dos Conselhos e dos estudantes para um novo encontro.

 

 

Na ocasião, Sidnei Ferreira pediu empenho especial ao procurador para que os alunos retornem o mais rápido possível às aulas.

 

 

“Esperamos que o MEC encontre rapidamente soluções efetivas para o problema. Continuaremos dando todo o apoio necessário aos alunos até que a situação seja regularizada”, disse.

 

 

Aloísio Tibiriçá, por sua vez, falou sobre a importância do apoio do MPF, do CFM e do CREMERJ aos alunos.

 

 

“Acreditamos que o apoio do MPF, somado aos esforços do CFM e CREMERJ, podem dirimir prejuízos maiores aos estudantes, especialmente no que diz respeito à continuidadeda formação e ao aproveitamento dos estudos realizados”, afirmou.

 

 

Os acadêmicos relataram ao procurador-geral as reivindicações e os problemas enfrentados em razão da situação da universidade, recentemente descredenciada pelo MEC. Desde o dia 7 de janeiro, grupos de alunos de diversos cursos se revezam em Brasília, onde continuam pedindo a federalização da Gama Filho, mas buscam principalmente garantir critérios mínimos de qualidade para a transferência.

 

 

CFM

 

0 comentários