Baía da Traição: beleza natural e tribos indígenas

O nome da cidade, Baía da Traição, remete a uma emboscada de índios contra os primeiros portugueses, por volta do século XVI
 

A 92 km da capital João Pessoa, Baía da Traição (PB) é um destino de praias desertas, falésias, rios, recifes, mangues e tribos indígenas. Frequentada por turistas de todo o Brasil, a cidade tem sua costa protegida por uma linha de recifes que lhe dá características originais de rara beleza.

 

 

O nome da cidade, Baía da Traição, remete a uma emboscada de índios contra os primeiros portugueses, por volta do século XVI. A vila de pescadores ainda mantém o espírito de preservação e o estilo de vida típico das aldeias mais antigas, o que pode ser notado no artesanato e a dança típica dos nativos. Para conhecer as aldeias, procure um Centro de Atendimento ao Turista (CAT).

 

Há também diversos restaurantes e pousadas acessíveis na Baía. O ponto de encontro de turistas e da população é praça central e o Farol da Traição, inaugurado em 1923, é um ponto de interesse para quem visita a região. O farol se caracteriza por uma armação de forma quadrangular com 12 metros de altura e tem alcance geográfico – luz de 19 quilômetros (a maior distância à qual uma luz pode ser vista em função da curvatura da Terra).

 

O local é marcado pelo clima tropical chuvoso, embora o verão seja seco. O período chuvoso começa no outono, tendo início em fevereiro e termina em outubro. 

 

Ministério do Turismo

0 comentários