Cupons de desconto são a nova onda na explosão do e-commerce brasileiro

O uso de cupons é muito comum nos Estados Unidos e vem ganhando força no Brasil
 

Desconto-cupomO e-commerce no Brasil não para de crescer e a cada ano bate recordes em vendas. Somente na última Black Friday do setor, em 29 de novembro de 2013, mais de R$ 430 milhões de reais foram vendidos pelas lojas virtuais em um único dia de ofertas e promoções com descontos agressivos de até 90%, quase dobrando os números de 2012.

 

 

As razões para os números impressionantes do crescimento do e-commerce brasileiro, que vive um boom na contramão dos indicadores retraídos de consumo e no desempenho aquém do esperado das lojas físicas de shoppings e grandes centros comerciais, são em grande parte explicadas pela variedade de produtos e marcas, possibilidade de comparar preços rapidamente entre diferentes lojas, compra sem filas ou burocracia, preços mais baixos que no comércio tradicional com ou sem uso de cupons de desconto e até especificações e reviews dos produtos mais completas e confiáveis nos sites das lojas em comparação a dificuldade de obtenção de informações nas lojas físicas.

 

 

O uso de cupons de desconto, muitas vezes aliado a ofertas agressivas, pode ser considerado um dos maiores catalisadores desta explosão sem precedentes do volume de compras em lojas virtuais. “Nas lojas físicas, há dificuldades e até vergonha em pedir desconto para o vendedor ou gerente, enquanto no comércio on-line você tem alguns sites especializados somente em agrupar cupons, descontos, ofertas e promoções, facilitando a vida do consumidor que quer economizar”, segundo Thiago Rodrigo Carneiro, sócio-proprietário de A vida é feita de Desconto, segundo maior site brasileiro de cupons com R$ 8 milhões em vendas a partir das ofertas e descontos disponíveis no site somente na última Black Friday.

 

 

“Para nós, varejo, moda, esporte, perfumes e até viagens lideraram a pesquisa por cupons de desconto neste ano de 2013. A tendência é de crescimento nas vendas on-line com a realização da Copa do Mundo em 2014, além do maior alcance de consumidores pela internet e na criação de hábito de uso da rede nas diferentes etapas que compõem o consumo”, ressalta Carneiro.

 

 

A tendência para 2014 continua sendo o incremento nas compras on-line, seja pelos atuais e-consumidores, seja pela adesão de novos consumidores às compras on-line, com números estimados em R$ 24,4 bilhões em vendas para este ano para mais de 30 milhões de consumidores, representando metade do volume de toda a América Latina.

 

Assessoria de Imprensa

 

 

0 comentários