Empresários temem enfraquecimento das vendas

Essa visão menos otimista no curto prazo foi influenciada pelos donos de empresas de menor porte que empregam até 50 empregados
 

Os empresários do setor do comércio iniciaram o ano de 2014 ligeiramente mais confiantes com o desempenho atual da economia. No entanto, olhando para os próximos meses, na média eles acreditam em piora do cenário e com vendas mais fracas, segundo aponta o Índice de Confiança do Empresário do Comércio no Município de São Paulo (Icec), que teve uma pequena elevação, em janeiro, de 0,25% sobre dezembro último, ao alcançar 119,4 pontos.

 

Em relação a igual mês de 2013, foi apurado aumento bem maior, de 4,7% . O levantamento, feito pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), mede a percepção dos empresários sobre o setor, sobre os próprios negócios e em relação à economia do país. Para esse cálculo, a entidade segue escala que varia de 0 (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

 

O índice é formado por três indicadores e apenas um deles teve crescimento: o Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (Icec) com variação de 10,9%. Passou de 90,3 pontos em dezembro para 100,1 pontos em janeiro. No caso do Índice de Expectativa de Empresário do Comércio (Ieec), houve queda de  4,1%  com a marca de  147,5 pontos. E o  Índice de Investimento do Empresário do Comércio (Iiec) recuou 2,3% com 110,7 pontos ante 113,3 pontos.

 

Essa visão menos otimista no curto prazo foi influenciada pelos donos de empresas de menor porte que empregam até 50 empregados. Nesse universo caiu o índice caiu 2,5%, atingindo 110,1 pontos enquanto nas empresas de grande porte houve alta de 6,6% com 139,1 pontos.

 

Em sua análise técnica, a  FecomercioSP justificou que “ a queda no ritmo de crescimento das vendas do varejo, a persistência da inflação e as incertezas em relação aos rumos da economia para este ano têm afetado o otimismo dos empresários nos últimos meses”.

 

Agência Brasil

0 comentários