Conjunto de Favelas da Maré será ocupado domingo, dia 30

1,5 mil homens vão compor efetivo da UPP Maré
 

mare

A operação será realizada pelas tropas federais, em junção com o Batalhão de Operações Especiais (Bope), Batalhão de Choque (BPChoque) e Batalhão de Ações com Cães (BAC). A Polícia Federal vai ajudar com o serviço de inteligência e a Polícia Rodoviária Federal vai auxiliar no cerco aos acessos, nos mesmos moldes da ocupação do Complexo do Alemão, em 2008.

 

 

 

Às vésperas da ocupação das forças de segurança, a PM trabalha para enfraquecer as facções criminosas que atuam nas 16 comunidades do Conjunto de Favelas da Maré. A Marinha realizou, nesta manhã, o reconhecimento da região e a polícia fez buscas por criminosos. Nesta sexta-feira, completa uma semana que homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) ocupam duas favelas do conjunto: Nova Holanda e Parque União.

 

 

 

 

“A Polícia Militar vem realizando operações com revistas em carros e ônibus, operações em determinadas comunidades são justamente para dificultar a movimentaão de criminosos no Complexo da Maré. Foram 16 pistolas apreendidas, 3 fuzis, 100kg de maconha. Nós tivemos ontem [quinta-feira, 27] uma reunião com os moradores da Maré e queremos dizer que a PM vai estar próxima. Buscamos a localização de marginais através do Disque-Denúncia e que eles [moradores] nos ajudem nessa busca”, declarou o Relações Públicas da PM, Cláudio Costa.

 

 

1,5 mil homens
O secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, anunciou na tarde desta segunda-feira (24), que inicialmente 1,5 mil homens devem compor o efetivo da UPP Maré. Ainda de acordo com ele, a ocupação contará será somente com o Exército. Ele descartou a Marinha e a Aeronáutica.

 

 

Segundo Beltrame, havia uma “megalópole” do tráfico atuando no Rio. “Quando os criminosos começaram a perder território, começaram com essa retaliação covarde de até matar policial pelas costas”, completou.

 

 

Ocupação
A decisão de ocupar o complexo aconteceu após uma série de ataques a UPPs na semana passada. A Maré está localizada em um ponto estratégico da cidade: próximo ao Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, na Ilha do Governador, e às três mais importantes vias expressas da cidade — Linha Vermelha, Linha Amarela e Avenida Brasil.

 

 

“Esse é um passo decisivo na nossa política de avanço na segurança. Trata-se de uma área estratégica para o Rio visto que lá passam a Linha Vermelha, a Linha Amarela e a Avenida Brasil, uma área sensível com moradores ansiosos para receber as forças de segurança”, disse o governador Sérgio Cabral.

 

 

Beltrame, no entanto, falou que a UPP Maré já era prevista e que não tem relação com os ataques ocorridos na quinta-feira (20). “A Maré é um grande território de dominação do tráfico de drogas. A nossa resposta é fazer com o que o tráfico perca cada vez mais território. É mostrar para o tráfico que o estado tem força.”

 

 

FONTE: G1

 

 

0 comentários