MTur avalia a situação de obras em cidades-sede

Por meio de videoconferências, Ministério do Turismo faz diagnóstico de projetos no Distrito Federal, Fortaleza e Belo Horizonte
 

Contratos-acessibilidade-sinalizacao-Arena-Amazonia_ACRIMA20140319_0040_15

O Ministério do Turismo deu continuidade na terça-feira (18) às videoconferências de avaliação e diagnóstico das obras de infraestrutura que estão sendo realizadas nas cidades-sede para a Copa do Mundo. Desta vez, as equipes do MTur e da Caixa Econômica Federal reuniram-se com representantes de Fortaleza, do Distrito Federal e de Belo Horizonte.

 

 

Fortaleza direcionou os recursos liberados pelo MTur para facilitar o acesso do turista aos principais atrativos turísticos da cidade. São R$ 19,9 milhões para obras de acessibilidade na Praia de Iracema, Centro Cultural Dragão do Mar e no eixo comercial da Rua Monsenhor Tabosa, que tem as lojas de confecções como principal atrativo. As intervenções vão permitir também a ligação entre a Beira-Mar e a Praia do Futuro, as mais visitadas do estado.

 

 

Para o Distrito Federal o aporte é de R$ 2,7 milhões para projetos de sinalização turística e aquisição de duas unidades móveis para instalação de Centros de Atendimento ao Turista. Para facilitar a comunicação com os visitantes brasileiros e internacionais, a capital do país vai sinalizar, até a Copa do Mundo, seus principais monumentos, como a Catedral, o Memorial JK, o Palácio da Alvorada, o Palácio Catetinho, o Palácio do Itamaraty e o Palácio do Planalto.

 

 

Os projetos de Minas Gerais para a Copa incluem intervenções em Belo Horizonte e destinos do entorno no valor total de R$ 7,58 milhões. Com a capital foram pactuados contratos para reforma de centros de atendimento ao turista em locais como o terminal rodoviário e o aeroporto de Confins e sinalização turística em três polos turísticos: Pampulha, Central e Serra do Curral. Nas proximidades de Belo Horizonte serão beneficiados com sinalização e implantação de CATs as Rota das Grutas de Lund e os município de Cordisburgo, Lagoa Santa e Sete Lagoas.

 

 

No total, o MTur firmou 39 contratos de repasse com as 12 cidades-sede que somam investimentos de R$ 180 milhões. Foram contempladas principalmente obras de acessibilidade, sinalização turística e reforma e construção de centros de atendimento ao turista. O objetivo das reuniões é obter um diagnóstico da situação das obras de modo a estipular um cronograma final de entregas.

0 comentários