Prefeito do Rio anuncia novos critérios para participação no C40

C40 Awards premiou cidades que se destacaram no combate às alterações climáticas
 
Fotos: Beth Santos

 

 

O prefeito Eduardo Paes, na posição de presidente do Grupo C40 de Grandes Cidades pela Liderança Climática (C40), anunciou nesta quinta-feira, 3 de dezembro,  em Paris, novos critérios obrigatórios para a permanência das cidades na rede. A partir de agora, para continuar como membro ativo do C40, as cidades precisarão cumprir requisitos, estando sujeitas à punição de serem retiradas da rede. Até então, o grupo, criado em 2005, não demandava nenhuma contrapartida das cidades-membro. O objetivo da medida é cobrar a participação efetiva na luta contra a mudança climática e fiscalizar se os municípios estão implementando ações de neutralização de carbono e atingindo resultados. O anúncio foi feito na Prefeitura de Paris, em evento paralelo à COP21, o Steering Committe, que reuniu líderes globais do C40.

 

 

A principal nova condição para participar do C40 é que a cidade se comprometa com o Pacto Global de Prefeitos. O Pacto é o maior esforço internacional de cidades na luta contra as alterações climáticas. Ao participar do Pacto, prefeitos se comprometem a preparar os municípios para os impactos climáticos e a acompanhar e relatar o progresso. Eduardo Paes lançou a iniciativa com o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, e o enviado especial da ONU para Cidades e Mudanças Climáticas, Michael R. Bloomberg, em Nova Iorque, em 2014 e, até hoje, mais de 100 cidades de todo o mundo participam, além do Rio. Outros novos requisitos são a criação de pelo menos duas metas em diferentes setores e de uma matriz transparente de monitoramento das ações. As cidades que não cumprirem as regras em até seis meses serão automaticamente rebaixadas a ‘cidades inativas’ e podem vir a ser desligadas da rede.

 

– Tenho confiança que, ao definir esse conjunto de critérios a serem cumpridos pelas cidades-membro do C40, estamos reforçando a credibilidade da organização e a nossa capacidade de alavancar recursos. Foi importante estabelecer essas regras para reforçar a liderança das cidades nas ações climáticas e mostrar que temos compromisso, foco e transparência –  disse Paes.

 

 

Após o Steering Committee, o prefeito seguiu para o centro de cultura digital La Gaîté Lyrique para anunciar os vencedores do terceiro C40 Awards, prêmio entregue pela rede a dez cidades globais em reconhecimento à liderança no combate às alterações climáticas em setores estratégicos. Enquanto estiver na presidência da rede de cidades, as iniciativas sustentáveis do Rio de Janeiro não podem concorrer. Em 2013, o Rio ganhou prêmio pelo projeto Morar Carioca Verde nas comunidades Chapéu Mangueira e Babilônia no Leme.

 

 

As cidades vencedoras, dentre elas Boston (EUA), Joanesburgo (Africa do Sul), Roterdam (Holanda) e Nanjing (China), demonstraram inovação e vontade de construir comunidades urbanas resilientes e com baixas emissões de gases causadores do efeito estufa. As campeãs foram reconhecidas por políticas públicas, projetos ou programas. Um deles é o Plano de Ação por uma Cidade mais Verde, de Vancouver (Canadá), que definiu um roteiro para se tornar a cidade mais verde do mundo em 2020. A restauração ecológica de um dos maiores aterros sanitários da cidade de Wuhan (China) também foi uma das premiadas.

 

 

 – Com líderes de todo o mundo se reunindo em Paris para assinar um acordo para emissões vinculativas, os esforços destas 10 cidades premiadas nos lembram que resultados que impulsionam inovação, soluções e ações concretas – dando mais oportunidades econômicas, em saúde e bem-estar dos cidadãos urbanos – podem ser implementadas neste exato momento. Eu gostaria de agradecer ao nosso júri e cumprimentar meus colegas prefeitos por sua liderança e compromisso para combater as alterações climáticas. As ações locais estão tendo um impacto global  – disse Paes.

 

 

 

0 comentários