Primeiro-ministro britânico diz que Reino Unido não quer “virar as costas” à Europa

Ele tem destacado as vantagens econômicas do mercado comum, apesar da crise na zona euro
 

Ao participar do 43º Fórum Econômico Mundial, em Davos, Suíça, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse que o Reino Unido não quer virar as costas à Europa, pelo contrário quer se aproximar de uma “Europa mais competitiva, mais aberta e mais flexível”, e garantir seu lugar no grupo.

 

 

Diante de dezenas de empresários e políticos, ele disse querer “negociar um novo acordo” com a União Europeia, “que funcione para o Reino Unido” e que seja aceito pelos cidadãos britânicos. “Isso não é apenas bom para o Reino Unido, é também necessário para a Europa”, destacou.

 

 

Cameron defendeu ainda que o continente construa um motor para o crescimento, “e não uma fonte de custos para o mundo empresarial e de queixas para os cidadãos”, pois está prestes a ser ultrapassado pela competição mundial e esquecido pelos investidores.

 

 

Na quarta-feira (23), o primeiro-ministro britânico comprometeu-se a organizar um referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia, despertando a preocupação dos parceiros europeus. A data ainda não foi definida, mas deve ser entre 2015 e 2017.

 

 

Segundo assessores, Cameron compreende a impaciência dos que cobram mais ações da União Europeia. Ele tem destacado as vantagens econômicas do mercado comum, apesar da crise na zona euro (que reúne 17 países que adotam a moeda única), mas reclama das medidas relativas às orientações sobre emprego, regulamentação social, polícia e Justiça. Cameron também reivindica mais isenções para o Reino Unido.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.