Bento XVI termina retiro espiritual e diz que “maligno quer sujar criação” de Deus

Após renunciar, no dia 28, Bento XVI passará a viver, pelo menos por dois meses, na residência pontifícia de Castel Gandolfo
 

O papa Bento XVI concluiu sábado (23) o retiro espiritual de uma semana e fez um pronunciamento agradecendo aos seus colaboradores por acompanhá-lo nos dias de oração e também ao longo dos oito anos de papado. Joseph Ratzinger assumiu o pontificado em 2005 e anunciou sua renúncia este ano. A partir de quinta-feira (28), ele não ocupará mais o posto de chefe da Igreja Católica. Segundo o Vaticano, o retiro do qual o papa participou é comum no período da Quaresma, que são os dias que antecedem à celebração da Páscoa cristã.

 

“Gostaria de agradecer a todos vocês não somente por esta semana, mas por esses oito anos em que carregaram comigo com grande competência, afeto, amor e fé o peso do Ministério Petrino. Permanece em mim esta gratidão e mesmo que agora acabe esta visível comunhão exterior, permanece a proximidade espiritual”, declarou Bento XVI, durante o encerramento do retiro. O papa disse ainda que o mal e o sofrimento estão comprometendo a criação de Deus. “Parece que o maligno quer permanentemente sujar a criação para contradizer Deus e tornar irreconhecível sua verdade e sua beleza”, declarou.

 

Após renunciar, no dia 28, Bento XVI passará a viver, pelo menos por dois meses, na residência pontifícia de Castel Gandolfo. Depois, ele viverá no mosteiro de clausura, no Vaticano, que está sendo reformado. Segundo o porta-voz da Santa Sé, a escolha do mosteiro foi proposital para permanecer próximo ao Vaticano. Com o encerramento do período de orações, ele deve se reunir esta semana em audiência privada e de despedida com o presidente da Itália, Giorgio Napolitano. Amanhã (24), o papa dará a última benção dominical aos fieis antes de sua saída, na Praça de São Pedro.

 

Agência Brasil

0 comentários