Chávez faz sessões de quimioterapia, diz vice-presidente

Chávez ocupa a Presidência há 14 anos e sofre com um câncer na região pélvica, mas não foram divulgados mais detalhes sobre a doença
 

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, de 58 anos, faz sessões de quimioterapia em um hospital de Caracas. O vice-presidente venezuelano, Nicolás Maduro, confirmou que Chávez é submetido a “tratamentos complementares ao pós-operatório”. Maduro informou ainda que, depois de uma “melhora geral” nas condições de saúde de Chávez, os médicos decidiram começar os “tratamentos complementares”.

 

“Os tratamentos que o comandante Chávez está recebendo são difíceis, mas ele é mais forte que os tratamentos”, disse Maduro, que participou sexta-feira (1º) de uma missa na capela do Hospital Militar, em Caracas.

 

Em seguida, Maduro detalhou quais são os tratamentos complementares. “Você sabe o que são tratamentos complementares? São (sessões de) quimioterapia aplicadas a pacientes depois de operações”, disse ele, dirigindo-se a um jornalista que perguntou detalhes.

 

Segundo o vice-presidente, apesar das limitações, Chávez busca se comunicar com as pessoas. “O presidente Chávez é muito criativo e suas mãos não estão atadas quando é preciso comunicar ordens, orientações e preocupações”, ressaltou.

Maduro detalhou o estado geral de saúde de Chávez depois que o líder da oposição, Henrique Capriles, o acusou de mentir sobre a “real situação” de saúde do presidente. Em meio às especulações sobre a saúde de Chávez, vários estudantes se acorrentaram em uma rua de Caracas, exigindo que o governo “diga a verdade” sobre Chávez.

 

O vice-presidente foi indicado por Chávez como o sucessor. No último dia 27, Maduro disse que o presidente “está lutando pela vida e estamos com ele”.

 

O líder venezuelano não foi mais visto em público desde que passou por uma nova cirurgia para tratamento de um câncer em Cuba, em 11 de dezembro. Ele voltou para a Venezuela no dia 18 de fevereiro.

 

Chávez ocupa a Presidência há 14 anos e sofre com um câncer na região pélvica, mas não foram divulgados mais detalhes sobre a doença.

 

Agência Brasil

0 comentários