MMA nos EUA vive dilema com primeiro caso de lutador transexual

Fallon tem duas vitórias como profissional de MMA
 

 

 

Fox é lutadora de MMA e, apesar de ter 37 anos, profissionalizou-se apenas no ano passado. Em seu currículo, três vitórias na fase amadora e outras duas como profissional. O próximo compromisso de Fallon Fox está previsto para o dia 20 de abril, válido pelo Grand Prix dos peso-penas feminino do Championship Fighting Allinace, na Flórida. No entanto, ela pode não lutar.

 

 

 

Isto porque ela pode perder a licença de lutadora. Fallon Fox revelou ter feito uma cirurgia de troca de sexo, além de tratamento hormonal para se tornar Fallon Fox. Ela é transexual desde 2006.

 

 

Em entrevista à revista “Sports Illustrated”, a diretora de comunicação da Comissão de Boxe da Flórida disse que as informações na ficha de inscrição de Fox estão sendo analisadas.

 

 

Na onda da polêmica, documentário publicado no YouTube fala do drama de Fallon

 

O caso é inédito e vem gerando discussões. A origem de Fallon é Chicago, e ela seria integrante da Comissão Atlética da Califórnia, entidade na qual obteve licença para lutar. No entanto, o diretor-executivo Andy Foster, que representa a CAC, diz que a liberação “ainda está em processo de análise”. A Califórnia tem peso significativo quando se trata de MMA, o que poderia influenciar na obtenção de nova licença para outras regiões dos Estados Unidos.

 

 

Confira ainda a luta de Fallon contra Scottie Fortner e responda a enquete abaixo: é desigual ou não é?

 

Pesa contra Fallon o fato de ter omitido sua condição de transexual à Comissão de Boxe da Flórida. Ela nem sequer apresentou todos os documentos médicos necessários, argumentando que isso não foi solicitado. A definição sobre o caso inédito deve sair no próximo workshop da Comissão. Por enquanto, não se sabe ainda se Fallon lutará mesmo no dia 20 de abril.

 

 

0 comentários