Pesquisa revela sacrifícios que as mulheres estão dispostas a fazer em busca do cabelo perfeito

Setor de beleza é um dos que mais cresce no país, muito por causa da vaidade das brasileiras
 

Dados levantados por uma pesquisa realizada recentemente por Pantene, marca de cuidados com os cabelos da P&G, comprovaram um fato que as mulheres já sabiam e que a maioria dos homens já deve desconfiar: as mulheres são capazes de “quase tudo” para terem o cabelo perfeito, uma realidade que se mostrou comum a mulheres não só no Brasil mas também em toda a América Latina. Em nome de um ideal de beleza, elas chegam a sacrificar a saúde dos fios, submetendo-os a rotinas torturantes, e até abrem mão do próprio tempo de lazer ou descanso, se a garantia for conquistar um visual dos sonhos.

 

O estudo, realizado em 2012 e conduzido pelo Pantene Institute, apresenta dados interessantes e curiosos da rotina de tortura extrema à qual as mulheres da América Latina estão dispostas a se submeterem para obter um cabelo impecável. A entidade ouviu 1.600 mulheres do Brasil, México, Argentina, Venezuela, Colômbia, Peru, Guatemala e Costa Rica, e constatou que, em apenas um ano, as mulheres latino-americanas torturam seu cabelo de muitas formas. Dados da pesquisa quantitativa realizada com mulheres do Brasil e do México mostram que o cabelo sofre, ao longo de um ano:

 

“Com essa pesquisa, a P&G dá mais um passo à frente no entendimento do consumidor, sabendo exatamente quem ele é e, principalmente, como se comporta e do que necessita. Esse conhecimento também foi aplicado aos estudos para o relançamento da linha Pantene Pro-V. As novas fórmulas ajudam a aumentar a força do cabelo contra danos aos fios devido a rotinas extremas, ajudando as mulheres a conseguirem o cabelo de seus sonhos,” afirma Juliana Azevedo, diretora de marketing da P&G.

 

Rotina de beleza das latino-americanas

Os três métodos mais utilizados pelas latino-americanas para estilizar os cabelos como parte de sua rotina de beleza são: secador (56%), chapinha (55%) e tinturas e descolorantes (47%).  Além disso, a pesquisa revelou que 7 em cada 10 mulheres da América Latina costumam fazer tratamentos nos fios uma vez a cada três meses ou mais (banhos de creme, ampolas ou tratamentos de revitalização de qualquer tipo).

 

5 de 10 mulheres latino-americanas já fizeram alisamento permanente nos cabelos. Destas, 71% estão cientes de que alisar o cabelo com chapinha provoca quebra e enfraquecimento dos fios e 61% sabem que o uso do secador pode causar danos aos cabelos. No Brasil, 68% das mulheres utilizam o secador como um dos métodos para deixar as madeixas em ordem, conforme aponta o quadro abaixo. 

Outro dado interessante revelado pela pesquisa é que 6 de cada 10 latino-americanas não saem de casa se ​​não tiverem tempo de arrumar o cabelo e deixá-lo do jeito que gostariam. O México lidera esse dado com 67% das entrevistas, em seguida estão a Venezuela e o Peru com 62% e o Brasil 51%.

O estudo mostra ainda que o Brasil (97%) e o México (96%) são os países mais interessados em produtos que reparam os danos dos cabelos. Além disso, os dados apontam que 57% das brasileiras e 63% das mexicanas se sentem culpadas por utilizarem procedimentos que afetam a saúde dos fios.

 

Do que elas são capazes para o cabelo perfeito

A pesquisa revela que 64% das brasileiras e 60% das mexicanas costumam se atrasar para um compromisso por levarem mais tempo arrumando os cabelos. Isso se deve aos cuidados que as mulheres latino-americanas possuem em manter as madeixas impecáveis antes de sair de casa.  De modo geral, elas estão dispostas a acordar mais cedo para ter tempo suficiente para arrumar o cabelo. Liderando essa rotina está a Colômbia (60%), seguida do México (57%) e da Venezuela (49%). As brasileiras e peruanas (38%) também abrem mão do sono em troca de um cabelo perfeito.  

A maioria das mulheres entrevistadas na Colômbia (80%) estão dispostas a abrir mão de doces e bolos por um mês em troca de um cabelo bonito. E mais da metade das mulheres do México (77%), da Venezuela e da Guatemala (76%) e do Brasil (68%) também adotariam esse método para obter um cabelo incrívelmente saudável. 

 

Os quatro vetores do dano 

Há quatro causas principais de danos extremos ao cabelo, que afetam sua estrutura e saúde geral:

  1. Ambiental: exposição aos raios UV e à água com cloro ou sal.
  2. Química: aplicação excessiva ou inadequada de colorações e tratamentos de alisamento de cabelos.
  3. Física: escovar os cabelos, utilizar elásticos etc.
  4. Térmica: exposição a ferramentas de modelagem, tais como secador de cabelo, babyliss, chapinha etc.

 

Assessoria de Imprensa

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.