Galaxy S 4 chega aos EUA na semana que vem

As operadoras americanas já começaram a detalhar os preços pelos quais venderão o novo smartphone de topo de linha da Samsung, o Galaxy S 4, que será vendido a partir da próxima semana.
 

 

 

Galaxy S 4 agrada com tela mais nítida e novas capacidades

 

Processador mais rápido, câmera melhor, tela com resolução mais alta: todos os avanços que se esperam de uma nova geração de smartphone estão no Galaxy S 4, mas as principais novidades do aparelho da Samsung não estão ligadas à numeralha.

 

O smartphone Galaxy S 4, da Samsung,  tem tela Full HD (resolução de 1.920 x 1.080 pixels) de cinco polegadas e novidades no sistema (um Android 4.2 Jelly Bean) . Com seu novo celular de topo de linha, a empresa coreana tenta ajudar o usuário a fazer coisas como conversar com pessoas que falam outra língua, monitorar sua saúde e automatizar a criação de álbuns de fotografia.

 

O esforço em inovar no software parece legítimo, mas o excesso de funções, que às vezes precisam ser ativadas manualmente e nem sempre são bem executadas, pode levar à confusão.

 

A própria apresentação do aparelho, no teatro Radio City Music Hall, em Nova York, refletiu isso: mesmo os recursos mais impressionantes, como a navegação sem tocar a tela, apenas movendo o dedo no ar à frente do visor, foram demonstrados às pressas, entre uma cena e outra da apresentação teatral do anúncio.

 

O recurso chamado Smart Scroll decepciona: é preciso inclinar o aparelho para que o conteúdo se mova. Além de o gesto ser esquisito, nem sempre funciona -é mais fácil usar o dedo.

 

Já a função de pausar o vídeo quando não se está olhando para a tela funciona perfeitamente. Ela interrompe a reprodução cerca de dois segundos depois de o usuário virar o rosto, e a retoma quase instantaneamente quando ele volta a olhar.

 

O S Translator, tradutor de conversas entre pessoas de idiomas diferentes, suporta o português brasileiro.

 

A navegação por galerias de fotos e pela web fazendo gestos no ar funciona bem, mas só quando se faz o movimento exatamente à frente da câmera frontal. Além de impressionar os amigos, o recurso pode ser útil se uma das mãos do usuário estiver suja.

 

É difícil imaginar que alguém consiga (ou queira) incorporar todas as novas funções ao fluxo de uso do celular. Por outro lado, é interessante ter tudo isso à mão.

 

Confusões envolvendo funcionalidade e patentes à parte, é razoável supor que, com um bom aparelho como o Galaxy S 4 e milhões de dólares para seu marketing, a empresa mantenha a hegemonia no mercado de smartphones.

0 comentários