Serviços de inteligência conheciam suspeitos de terem matado soldado britânico

Na semana que vem, o diretor-geral do MI5, Andrew Parker, deve prestar depoimento em um comitê parlamentar que investiga os indícios de que os serviços de segurança conheciam os suspeitos
 

Os dois suspeitos de terem matado o soldado Lee Rigby esfaqueado em uma rua de Londres – Michael Adebolajo, de 28 anos, e Michael Adebowale, de 22 – eram conhecidos dos serviços de inteligência britânicos. Rigby era um soldado de 25 anos que combateu no Afeganistão.

 

 

Na noite de sexta-feira (24), um amigo de Adebolajo foi preso após conceder uma entrevista ao programa Newsnight, da BBC. A Polícia Metropolitana de Londres disse que a prisão não está diretamente ligada ao assassinato do soldado.

 

 

Abu Nusaybah disse ao programa que Adebolajo rejeitou, há seis meses, uma proposta para trabalhar para o MI5, o serviço de inteligência britânico. A oferta foi feita depois que Adebolajo voltou de uma viagem ao Quênia, na África, de onde ele chegou com comportamento “diferente”, segundo Nusaybah.

 

 

Ele disse que Adebolajo teria dado indicações de que sofrera agressões físicas e abusos sexuais durante o interrogatório feito pela polícia no Quênia.

 

 

Na semana que vem, o diretor-geral do MI5, Andrew Parker, deve prestar depoimento em um comitê parlamentar que investiga os indícios de que os serviços de segurança conheciam os suspeitos.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.