Reuters é investigada por órgão regulador dos EUA por informação privilegiada

Jornais afirmam que dados industriais, gerados pelo ISM, foram enviados para clientes em tempo real da Thomson Reuters, antes da divulgação oficial das informações, permitindo que os assinantes realizassem diversos negócios em Bolsa com vantagem
 

A rede CNBC informou que o órgão regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos, a SEC (equivalente à Comissão de Valores Mobiliários brasileira), está investigando a relação entre a agência de notícias Thomson Reuters e o Instituto de Gerenciamento da Oferta (ISM, na sigla em inglês). 

 

 
“A SEC falou especificamente com a Thomson Reuters sobre o nosso relacionamento. Nós não fomos contatados. Temos de estar atentos com nossos parceiros para gerenciar o processo de divulgação adequadamente, sem deixar que ninguém queime a largada. Estou confiante que a Thomson Reuters se ajustou para não repetir a divulgação prematura”, disse o presidente do ISM, Thomas Derry. 
 
 
 
Em 3 de junho deste ano, um analista da Nanex LLC descobriu uma quantidade anormal de transações, constatando que até 30 mil ações eram negociadas em até um milésimo de segundo na Bolsa. A Nanex calculou que, antes da divulgação oficial dos dados do ISM, US$ 28 milhões em ações foram trocados em um curto período de tempo.
 
 
PORTAL IMPRENSA

0 comentários