Geração Tóquio 2020 conquista medalhas no vôlei de praia dos I Jogos Sul-americanos Lima 2013

Brasil ficou com o ouro feminino e bronze masculino no Peru
 

A fábrica do voleibol não para de produzir talentos para o esporte olímpico brasileiro. Nos I Jogos Sul-americanos da Juventude Lima 2013, quatro jovens promessas disputaram suas primeiras competições multiesportivas e já alcançaram um lugar no pódio, nesta quinta-feira, dia 26. Medalha de ouro no evento continental, Paula Hoffmann e Andressa Cavalcante são as promessas no feminino, enquanto Jorge Souto e Matheus Maia, bronze em Lima, despontam como revelações no masculino. Em comum, além do talento nato, o desejo de representar o Time Brasil nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

 

 

A carioca Paula e a paraibana Andressa venceram as paraguaias Michele e Erika por 2 sets a 1 na decisão, parciais de 21/17, 21/23 e 15/10, nesta quinta. “Conseguimos fazer história como muitos outros brasileiros vêm fazendo nesta competição. Estou muito feliz e espero que este seja o primeiro título de muitos”, vislumbra Paula, de 17 anos. Este é o terceiro campeonato internacional de Paula defendendo a seleção brasileira. Ao lado de Andressa, ficou em quinto no Sul-americano adulto e no Mundial Sub-19, em 2013.

 

 

O primeiro ouro representando o Brasil ficará na memória da atleta durante muito tempo. “Quero tentar conseguir os mesmos resultados da geração que foi aos Jogos de Londres, como Juliana e Larissa. Para mim é um sonho. A Larissa começou de baixo, pelas categorias sub-19, sub-18”, afirmou Paula, que treinou durante cinco meses no Centro de Desenvolvimento da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), em Saquarema, para disputar o mundial. Paula participou ainda dos Jogos Escolares da Juventude, em Cuiabá, em 2012, quando conquistou o ouro para o Rio de Janeiro.

 

 

Na disputa pelo bronze masculino, os brasileiros Jorge e Matheus derrotaram os uruguaios Hannibal e Mauricio por 2 a 0, parciais de 22/20 e 21/16. “Participar de uma competição como esta é uma oportunidade muito legal, ainda mais podendo estar aqui com a seleção, viajando pelo Comitê Olímpico Brasileiro. É muito boa a oportunidade de estarmos conhecendo outros países, interagindo com outros atletas, conhecendo outras culturas”, avalia Matheus Maia, carioca de 17 anos.

 

 

Segundo o assistente técnico das seleções de base femininas de vôlei de praia da CBV, Julio Kunz, o trabalho de detecção de talentos para a modalidade vem sendo bem feito. “O trabalho de renovação é constante. Há um encaminhamento da CBV para que estejamos sempre buscando meninas altas para que o investimento para 2020, 2024 seja real. Temos colhido dentro dos campeonatos brasileiros as representantes que têm esse perfil e levado para Saquarema”, explica Julio, que afirmou ainda que atletas da quadra são observadas para serem pinçadas para a praia.

 

Assessoria

 

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.