Venezuela condena espionagem dos EUA e mantém as relações “congeladas”

Citando um relatório oficial compilado pelo ex-consultor contratado para prestar serviço à NSA, Edward Snowden, o jornal informou que a NSA também espionou a China, Coreia do Norte, o Iraque, Irã e a Rússia
 

A Venezuela condenou as ações de espionagem dos Estados Unidos ao país e informou que manterá congeladas as conversas para restaurar as relações diplomáticas bilaterais devido à ingerência norte-americana. “É inaceitável que nos espiem, a nós e a qualquer governo do mundo. Para nós, não é uma surpresa, nós sabemos que é precisamente [a espionagem] parte dos problemas nas relações entre a Venezuela e os Estados Unidos”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros venezuelano, Elías Jaúa, após uma visita ao chanceler mexicano, Antônio Meade, para firmar acordo de cooperação comercial.

 

 

No último domingo (3), o jornal norte-americano New York Times, revelou que, em 2007, a Venezuela fazia parte de uma lista de “alvos permanentes” de espionagem da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos. Teriam sido monitoradas as contas de e-mail de funcionários do Ministério das Finanças da Venezuela e de outras autoridade econômicas do país, segundo a publicação.

 

 

Citando um relatório oficial compilado pelo ex-consultor contratado para prestar serviço à NSA, Edward Snowden, o jornal informou que a NSA também espionou a China, Coreia do Norte, o Iraque, Irã e a Rússia.

 

Agência Brasil

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.