Laís Souza respira com auxílio de aparelhos e não mexe braços e pernas

A ex-ginasta sofreu uma queda durante o treinamento para a preparação para os Jogos de Inverno de Sochi
 
Laís Souza (Reprodução/Facebook)

Laís Souza (Reprodução/Facebook)

 

De acordo com informações do boletim médico divulgado pelo Hospital da Universidade de Utah, nos EUA, a atleta está acordada, mas seu estado de saúde é grave.  Laís precisa da ajuda de aparelhos para respirar e não consegue mexer os braços e as pernas. Ela foi submetida a tratamento cirúrgico para realinhar a coluna cervical, após o acidente na segunda, dia 27. em Salt Lake City, Estados Unidos, onde treinava para representar o Brasil no esqui aerials dos Jogos Olímpicos de inverno de Sochi-2014. A sua presença na competição já foi descartada.

 

1505082_10153590135980587_1380405078_n

A atleta está sendo cuidada pela Dra. Holly Ledyard, neurointensivista, e pelo Dr. Andrew Dailey, neurocirurgião, ambos da Universidade de Utah.  Apesar do atual estado, os médicos que cuidam de Lais não quiseram se precipitar e disseram ser “muito cedo para fazer um prognóstico a longo prazo”. Mas alertaram: “Lais terá uma longa recuperação à sua frente”.

 

Lais Souza começou a treinar esqui aerials em 2013, em iniciativa voltada aos Jogos Olímpicos de inverno de Pyeongchang-2018. Contudo, evoluiu rapidamente e se aproximou da classificação um ciclo antes. 

 

A vaga dela ainda não havia sido confirmada, mas a expectativa da CBDN é que o Brasil tenha direito a indicar uma atleta. Se isso realmente acontecer, como Lais Souza não poderá participar, a tendência é que Josi Santos represente o país no esqui aerials.

 

 1472088_10153557714005587_1633698687_n

 De acordo com a equipe médica, “Lais terá uma longa recuperação à sua frente. Neste momento, não podemos prever como será seu prognóstico em longo prazo. Ela está recebendo cuidados médicos excelentes e sua equipe médica está fazendo tudo para que ela tenha a melhor recuperação possível”, disse o médico do Time Brasil, Dr. Antonio Mattos.

0 comentários