Manifestantes ampliam protestos na Ucrânia

Com sacos de neve, pneus e outros objetos, as pessoas passaram a noite nos locais de protestos para garantir o controle do centro da cidade e impedir o avanço de forças policiais
 

Manifestantes ucranianos ampliaram hoje (24) os protestos na capital, Kiev, depois de as negociações entre a oposição e o presidente, Viktor Yanukovich, não terem conseguido por um fim à crise que atinge o país desde o fim de 2013. Depois das negociações, os manifestantes começaram a aumentar o campo de protestos na Praça da Independência e ativistas ocuparam o Ministério da Agricultura, no centro da capital.

 

“A Praça da Independência é uma ilha da liberdade e vai expandir o seu território até sermos ouvidos”, disse o líder da oposição Vitali Klitschko, dirigindo-se aos manifestantes, depois das negociações.

 

 

Com sacos de neve, pneus e outros objetos, as pessoas passaram a noite nos locais de protestos para garantir o controle do centro da cidade e impedir o avanço de forças policiais. Na madrugada desta sexta-feira, não houve qualquer incidente violento em Kiev. No último domingo (19), os confrontos entre forças de segurança e a população se intensificaram. Até hoje, cinco pessoas já foram mortas e mais de 100, detidas.

 

 

Em sessão extraordinária, o Parlamento ucraniano, em recesso de inverno, se reúne hoje para discutir a deterioração da situação política do país e formas de solucionar a crise de maneira pacífica. Segundo informou o porta-voz do Parlamento, Vladimir Rybak, a declaração de estado de emergência continua não sendo uma opção para o governo e não deverá ser ponto de debate na sessão.

 

Agência Brasil

0 comentários