Força mental de Lais Souza impressiona médico do Time Brasil

A atleta continua internada
 

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) segue prestando todo o suporte para a recuperação da atleta Lais Souza. Para o médico do Time Brasil, Antonio Marttos Jr., que acompanha o quadro clínico da atleta desde o dia seguinte ao acidente, Lais demonstra uma impressionante força mental, apesar de seu quadro ainda ser agudo, porém estável.

 

 

Nesta quinta-feira, dia 6, Antonio prestou informações atualizadas sobre a saúde de Lais Souza em uma entrevista realizada pelo COB por chat. Ela está internada desde ontem no Hospital da Universidade de Miami, onde dá continuidade ao processo de recuperação da grave lesão sofrida na coluna cervical, após um período internada em Salt Lake City. Um dos pontos que mais vem impressionando o médico do COB é o equilíbrio mental de Lais. “Lais é uma das pessoas mais fortes que já tratei. Está extremamente tranquila, ciente do desafio que tem pela frente. Ela está muito forte mentalmente, se comunica com todos ao redor e só não tem a voz porque está com a traqueostomia, mas sussurra o que quer. Pediu para assistir filmes, escutar músicas e está ciente das manifestações de carinho de todos, da força que vem recebendo da família, dos amigos, e ficou muito feliz de ter visto a foto da equipe brasileira em Sochi com a camisa em sua homenagem”, revelou.

 

A recuperação é lenta, mas já é possível acompanhar alguns pontos de evolução na saúde da atleta. “Não é possível, nesse momento, afirmar qualquer prognóstico sobre o quadro final da Lais. Ela está sendo tratada em um dos centros mais avançados do mundo nesse tipo de lesão, o Miami Porejct Cure Paralysis, comandado pelo Dr. Barth Green. O ponto mais positivo nessa primeira semana foi em relação à parte respiratória. Decidimos pela não implantação do marcapasso no diafragma incialmente. Nesse momento, iniciamos o processo de diminuição do suporte de ventilação mecânica à Lais. Ela tem tolerado bem esse “desmame”. Estamos otimistas de que ela sairá do ventilador mecânico. Quanto à parte de movimentação, ainda é muito cedo para dar qualquer prognóstico, mas temos alguns sinais de que a lesão é grave, mas não completa. Reitero que é impossível nesse momento saber como irá evoluir a parte motora”, explicou. Antonio Marttos demonstrou otimismo quanto à evolução do quadro de Lais. “Tudo indica que a lesão não foi total. Não sabemos como será a evolução final, mas a melhoria no quadro respiratório foi a melhor notícia até agora”, completou.

 

O Hospital da Universidade de Miami é referência no tratamento de lesões na coluna cervical. Antonio Marttos deu detalhes sobre o tratamento que está sendo realizado com a atleta brasileira. “É importante acrescentar que ela está tendo acesso ao que há de mais moderno no mundo para o tratamento desse tipo de lesão, fisioterapia motora, respiratória e ocupacional, psicologia e aos tratamentos mais modernos e recentes para esse tipo de lesão. Ela está em uma cama especial, que roda de um lado para o outro, a fim de prevenir pneumonia, infecções, escaras e coágulos. Eestá sendo acompanhada também pelo Dr. Stephen Olvey, que é o chefe da unidade de terapia intensiva neurocirúrgica do Jackson Memorial Hospital e foi chefe da Formula Indy, e quem atendeu e recuperou o piloto Alessandro Zanardi, que sofreu amputação bilateral das pernas e tem uma vida normal. Independentemente do nível de recuperação motora da Lais , nosso principal objetivo será proporcionar a melhor qualidade de vida possível, reintegrá-la à sociedade com um sorriso em seu rosto”, observou.

 

O apoio do COB e da CBDN à atleta e sua família foi outro ponto destacado pelo médico. “Temos que destacar todo o suporte do COB à família de Lais, tendo enviado a mãe e a fisioterapeuta Denise para acompanhá-la. Vale ressaltar também que desde os Jogos de Londres o COB desenvolve um projeto pioneiro junto à Universidade de Miami para o acompanhamento de seus atletas, onde quer que eles estejam, pela Telemedicina. Em caso de algum problema, os atletas ou equipe ao seu redor tem acesso a um moderno programa de Telemedicina onde os médicos do COB e os maiores especialistas do mundo podem acompanhar o estado e a evolução do atleta. A própria Lais foi atendida dessa forma em Londres, quando contundiu a mão, assim como ocorreu em Utah, quando essa análise do quadro foi liderada pelo Dr. João Grangeiro e o Dr. Green. A Lais está tendo acesso ao que há de melhor e mais moderno no mundo, para que possamos possibilitar a ela a melhor recuperação possível. É importante ressaltar o apoio do COB e da CBDN, assim coimo sua família, e a força que todos os brasileiros estão enviando a ela. Toda a equipe médica e da área de saúde estão fazendo o melhor possível para ela. Lais é forte, determinada e principalmente um espetacular ser humano”, concluiu.

 

COB

0 comentários