Graça Foster é eleita 4ª mulher mais poderosa no mundo dos negócios

As norte-americanas dominaram a lista de mulheres poderosas e influentes, com 30 das 50 colocações - inclusive, as três primeiras
 

A presidenta da Petrobras, Graça Foster, foi eleita pela revista norte-americana de negócios Fortune a quarta mulher mais poderosa do mundo. A primeira colocada no ranking de 50 mulheres é a CEO da General Motors, Mary Barra. As norte-americanas dominaram a lista de mulheres poderosas e influentes, com 30 das 50 colocações – inclusive, as três primeiras. Depois de Mary Barra, a revista lista as CEOs da IBM e da Pepsico, Ginni Rommety e Indira Nooyi, respectivamente.

 

Graça Foster

A presidenta da Petrobras, Graça Foster, é eleita a quarta mulher mais poderosa do mundo pela revista norte-americana de negócios FortuneAntonio Cruz / Arquivo Agência Brasil

 

Esta não é a primeira vez que Graça Foster entra nos rankings da publicação. Ela já foi a primeira colocada como a executiva mais poderosa fora dos Estados Unidos em 2012 e em 2013.  No ano passado, a presidenta da Petrobras entrou no ranking da Forbes como uma das 20 mulheres mais poderosas do mundo.

 

De acordo com a Fortune, a lista foi criada por editores de acordo com o peso de fatores como o tamanho, a importância, a saúde e o futuro do negócio que as mulheres comandam, assim como a trajetória da carreira das avaliadas. Nessa primeira edição global do ranking, a publicação deu ênfase à atuação internacional das mulheres escolhidas e o seu posicionamento na comunidade internacional. Em edições anteriors, os rankings eram divididos entre executivas norte-americanas e aquelas que atuavam fora dos Estados Unidos.

 

Graça Foster, 60 anos, é engenheira química e a primeira mulher a comandar a Petrobras. Assumiu a presidência da estatal em fevereiro de 2012. Antes de assumir o mais alto posto da empresa, foi diretora de Gás e Energia e presidente da Petrobras Distribuidora, entre outros cargos executivos. Ela está há 32 anos no quadro de profissionais de carreira da empresa.

 

Agência Brasil

0 comentários