Chuva ainda causa prejuízos à região metropolitana do Rio

Ao todo, 17 casas foram interditadas, 48 pessoas estão desabrigadas e foram encaminhadas para abrigos da Secretaria de Assistência Social, além de duas desalojadas, levadas para casa de parentes
 

A forte chuva que atinge a região metropolitana do Rio de Janeiro desde o início da semana continua causando transtornos em vários pontos do estado. Entre as 5h e as 10h de hoje (23), a Defesa Civil da cidade do Rio registrou 39 ocorrências devido ao temporal que provocou deslizamentos e alagamentos em diversas áreas.

 

 

Em Santa Teresa, na parte central do município do Rio, cinco casas foram interditadas preventivamente terça-feira (22) por causa da chuva. Segundo a Defesa Civil Municipal, um deslizamento de terra atingiu um muro e um poste que desabaram em cima das casas na Rua Paulo de Azevedo, mas não houve feridos. As casas permanecem interditas enquanto o laudo técnico definitivo não fica pronto. As famílias desalojadas estão em casas de parentes e amigos.

 

 

No município de Niterói, a chuva também provocou estragos. De acordo com informações da prefeitura, a Defesa Civil registrou 22 chamados desde segunda-feira (21), a maioria por deslizamentos de terra. Os pontos mais críticos são o bairro do Largo da Batalha e as comunidades da Grota e do Morro do Palácio – onde na semana passada uma adolescente morreu, vítima do deslizamento de uma encosta.

 

 

Ao todo, 17 casas foram interditadas, 48 pessoas estão desabrigadas e foram encaminhadas para abrigos da Secretaria de Assistência Social, além de duas desalojadas, levadas para casa de parentes.

 

De acordo com o subsecretário de Defesa Civil, Márcio Motta, os moradores que vivem em área de risco devem se prevenir, evitando os locais que apresentem chances de deslizamentos. “Temos que difundir essa ideia, a prevenção é o melhor caminho para podermos evitar eventuais tragédias. A Defesa Civil está atuando nos locais com maior índice de deslizamentos para podermos oferecer ajuda necessária às famílias”, disse Motta.

 

 

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que o município do Rio de Janeiro, que estava em estado de atenção, retornou ao estágio de vigilância às 7h desta quarta-feira (23), pois os ventos úmidos vindos do oceano para o continente, que provocaram chuva nos últimos dias, perderam a intensidade. Desse modo, não há previsão de chuva para as próximas horas.

 

Agência Brasil

0 comentários