Estado vai construir 2,2 mil moradias no Complexo do Jacarezinho

Além das moradias, que serão construídas com recursos federais e estaduais, estão previstas numa segunda etapa obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2
 

 

O Complexo do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, onde moram cerca de 43,8 mil pessoas, vai receber um conjunto de obras de novas moradias e de melhorias urbanísticas nos próximos anos, na sequência ao processo de pacificação recentemente instalado. O governo do estado pretende construir 2.240 unidades habitacionais no âmbito do programa federal Minha Casa Minha Vida para abrigar moradores retirados de áreas de risco ou removidos para a execução das obras. Para isso, serão desapropriados 81 terrenos distribuídos em 15 lotes dessas comunidades.

 

Os decretos, que consideraram esses terrenos áreas de utilidade pública e interesse social para fins de desapropriação, já foram publicados. No momento, os processos estão em análise pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) para se proceder posteriormente às desapropriações.

Os terrenos se situam na Comunidade Adonis, Rua Braulio Cordeiro 733/745, Rua Bruno Seabra, Rua Guaranhus, Rua Aires Casal (lixão), Rua Aires Casal 100, Rua Conselheiro Mayrink, Rua Almirante Ari Parreira, Rua Viúva Cláudio 124/134, Rua Matinoré, Rua Viúva Cláudio 169, Rua Matipó, Vila Viúva Cláudio, Rua Miguel Ângelo, Parque Marlene e a fábrica desativada da General Eletric (GE).

O serviço social da responsável pela execução das obras, a Empresa de Obras Públicas (Emop), está cadastrando no momento cerca de mil famílias que moram irregularmente nos galpões e terrenos invadidos. Segundo a empresa, o cadastramento será finalizado no próximo mês e a lista das famílias será encaminhada à Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos para pagamento de aluguel social enquanto os 112 prédios das novas moradias sejam erguidos.

A licitação das obras será feita pela Secretaria de Obras tão logo os terrenos sejam desapropriados por decreto do governador Sérgio Cabral e o mandado de imissão de posse, expedido. O secretário de Obras, Hudson Braga, acredita que as obras comecem ainda este ano.

– Vamos fazer uma grande intervenção na região, semelhante ao que fizemos em Manguinhos, Alemão e Rocinha, proporcionando moradia digna a quem vive hoje em condições inadequadas – afirmou Hudson Braga.

 

Além das moradias, que serão construídas com recursos federais e estaduais, estão previstas numa segunda etapa obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2, como melhoria da infraestrutura, construção de escolas, creches e áreas de lazer, abertura de ruas e urbanização, entre outras intervenções.

 

Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.