Jovens de Nova Friburgo apostam no empreendedorismo rural

Iniciativas são resultado de parceria do Rio Rural para fortalecer agricultura familiar
 

Há 13 anos, a família da jovem Ananda Tartari, da localidade Três Picos, em Nova Friburgo, produz alimentos orgânicos certificados. Aproveitando essa vocação e de olho nas oportunidades, ela montou uma estufa para produção de mudas orgânicas, com apoio do Programa Novos Rurais. Trata-se de uma parceria entre a secretaria estadual de Agricultura e Pecuária (através do Programa Rio Rural e da Emater-Rio), o Instituto Souza Cruz e o Ibelga (Instituto Bélgica-Nova Friburgo), visando a formação complementar de jovens que vivem no campo, com foco na criação de estratégias de diversificação produtiva e comercial.

 

 

Desde maio do ano passado, o projeto trabalhou novas habilidades e competências dos técnicos agropecuários egressos do Ibelga, com o propósito de transformá-los em agentes de desenvolvimento rural, capazes de agregar valor aos produtos e serviços da agricultura familiar. Seis jovens das localidades Três Picos e Salinas receberam um incentivo financeiro de R$ 2 mil para criar uma unidade demonstrativa, além de receberem uma bolsa de extensão mensal durante o desenvolvimento do programa, que terminou em dezembro. Todas as atividades tiveram orientação dos professores do Ibelga e foram supervisionadas pelos técnicos do Instituto Souza Cruz.

 

 

Participante do projeto, Ananda conta que uma de suas motivações para a escolher as mudas orgânicas foi a edição de uma norma do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que prevê o uso exclusivo de sementes orgânicas nos sistemas de produção certificados, já a partir deste ano.

 

 

– O objetivo foi adequar nosso sítio às novas normas, adquirir mais experiência no ramo e também melhorar a produção, utilizando mudas de qualidade – explicou.

 

 

Atualmente a estufa já produz diversas mudas de temperos, legumes, verduras e grãos. A proposta inicial da jovem é comercializar apenas em Nova Friburgo.

 

 

Da propriedade de sua família saem alimentos certificados, que são comercializados no circuito carioca de feiras orgânicas no Rio de Janeiro (Leblon e Jardim Botânico) e também em Nova Friburgo (na praça do Suspiro, nas manhãs de sábado).

 

Incentivo ao turismo rural

 

Outra ação colocada em prática foi a unidade Colha e Pague com Café da Roça, também nos Três Picos. O trabalho foi idealizado pela jovem Miriam Cordeiro, que atualmente divide sua rotina com as reuniões da Associação de Pequenos Produtores e Moradores de Baixada de Salinas, do Comitê Gestor (Cogem) da microbacia Salinas/Santa Cruz, com a gerência da Feirinha Orgânica realizada aos sábados, na Praça do Suspiro, e com um trutário da localidade, aos domingos.

 

 

Estimulada pela expansão do turismo no Parque Estadual dos Três Picos, Miriam criou um empreendimento que oferece ao turista uma troca de experiências e também um aprendizado da vida rural.

 

– O visitante poderá degustar os produtos artesanais da localidade como queijo, broa de milho, chimirra, compotas e muitos outros – resumiu.

 

Ainda segundo a jovem, os preços do Colha e Pague variam de acordo com a cultura e levam em consideração a realidade do mercado. Já o Café da Roça tem tabela fixa: R$ 12 para adultos e R$ 8 para crianças de até 10 anos.

 

 

Para o engenheiro agrônomo e assessor regional do Rio Rural, Gerson Yunes, as unidades desenvolvidas pelos egressos do Ibelga estimulam a inovação e também geram uma outra fonte de renda para as famílias envolvidas. Já o sociólogo do Instituto Souza Cruz, Marcos Gaspar, ressalta que o projeto contribui para a formação de uma juventude rural empreendedora.

 

 

Para adquirir mudas orgânicas, o contato pode ser feito através do e-mail tartari.ananda@gmail.com. A marcação de visitas ao “Café da Roça” e ao “Colha e Pague” é através do cordeiro.mirian@gmail.com.

 

Governo do Rio

0 comentários