Parceria entre Saúde e Perinatal salvou mais de 200 bebês em 2012

Em três anos, 511 crianças com problemas cardíacos foram operadas pelo SUS graças ao convênio
 

O convênio firmado em 2009 entre a Secretaria de Saúde e Maternidade Perinatal possibilitou a realização de 511 cirurgias em bebês. Só em 2012, 225 crianças foram operadas. São corrigidas cirurgicamente 40 tipos de cardiopatias, na maior parte de alta complexidade, com circulação extracorpórea. Uma delas é a hipoplasia de cavidades esquerdas, oferecida com exclusividade no Rio de Janeiro. A taxa de sobrevida do paciente na clínica é de 93,4%, próximo à expectativa de 98% do Childrens Hospital, nos Estados Unidos, um dos maiores centros pediátricos do mundo.

 

Mais da metade dos pacientes regulados para a Perinatal moram no município do Rio, num total de 131 bebês. Segundo estimativa da clínica, todo ano cerca de 800 crianças nascem no estado precisando de cirurgia de correção cardíaca. Cerca de 80% dessas famílias não podem arcar com os altos custos do procedimento na rede privada, que da transferência à internação no pós-operatório podem chegar a R$ 40mil.

 

– O convênio entre a Secretaria de Saúde e a Perinatal vem mudando a história de muitas famílias no Rio. Com esta parceria, centenas de crianças com problemas cardíacos estão sendo salvas – afirma Mônica Almeida, subsecretária de Atenção à Saúde da SES.

 

Antes do convênio, muitos pacientes neonatais precisavam ser operados em São Paulo. O estado custeava essas transferências por meio do Tratamento Fora de Domicílio (TFD). O convênio supre essa demanda na saúde pública, realizando gratuitamente cirurgias cardíacas em bebês prematuros com cerca de 550g de peso, recém-nascidos, lactentes, pré-escolares, escolares e adolescentes.

 

Remoção de helicóptero

 

Os pacientes são encaminhados à Perinatal pela Central Estadual de Regulação de Leitos e o Corpo de Bombeiros faz a transferência do paciente e sua família de qualquer lugar do estado do Rio de Janeiro, inclusive, tendo à disposição ambulâncias avançadas e o helicóptero UTI da corporação com equipes especializadas.

 

O pré e pós-operatórios são realizados por uma equipe multiprofissional formada por cirurgiões, cardiologistas, cardiointensivistas, anestesistas, intensivistas, assistentes sociais, psicólogas, entre outros especialistas, que permanece de prontidão na unidade 24 horas por dia. Ainda são disponibilizados 12 leitos privativos de CTI de alta complexidade para pacientes cardíacos, destinados à recuperação após a cirurgia.

 

A equipe da Perinatal ainda dispõe de uma técnica inédita para os casos raros de anomalias muito complexas. Um dos integrantes da equipe cirúrgica vem de São Paulo exclusivamente para operar nestes casos. As crianças com essa doença precisam ser submetidas à cirurgia pelo menos três vezes: uma ao nascer, outra por volta dos 4 meses de vida e a última com 2 anos, usando uma técnica que refaz a circulação cardíaca.

 

Governo do Rio

0 comentários