Sete abrigos em Xerém têm água analisada pela secretaria de saúde

Leptospirose e hepatite são as principais doenças que podem ser contraídas após enchentes
 

A Superintendência de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado de Saúde esteve na sexta-feira (4/1) em Xerém, no município de Duque de Caxias, para auxiliar na vistoria de abrigos que estão recebendo vítimas das enchentes ocorrida na última quinta-feira (3/1). No total, sete locais com aproximadamente 320 pessoas foram visitados por três equipes formadas por técnicos da Superintendência. O objetivo foi analisar as condições sanitárias, de estrutura e, principalmente, analisar a qualidade da água desses abrigos para evitar a proliferação de doenças como hepatite A, leptospirose e diarreia, transmitidas pela água contaminada.

Neste sábado (5/1), as equipes da Secretaria de Saúde estarão fazendo o mesmo trabalho novamente em Caxias e também em Teresópolis, Petrópolis, Nova Friburgo e Angra dos Reis.

Água própria para população

O superintendente de vigilância Epidemiológica e Ambiental da SES, Alexandre Chieppe, conta que o mais importante do trabalho complementar é conscientizar a população para que ela esteja tomando água adequada e com isso não aumentar a incidência de doenças causadas pela água contaminada da chuva.

– Fizemos este trabalho em Nova Friburgo, durante as fortes chuvas ocorridas em 2011. No caso de Xerém, a Secretaria de Estado de Saúde disponibilizou 50 mil folhetos orientações sobre cuidados de saúde em caso de enchentes e alagamentos, 10 mil folhetos explicativos sobre doenças como leptospirose, além de cuidados com a água e o uso do hipoclorito de sódio para filtração. Visitamos os 7 abrigos hoje e amanhã continuaremos nesse trabalho de auxílio para verificar se algum abrigo está com água contaminada. Caso isso ocorra, auxiliaremos a secretaria de saúde do município na limpeza do sistema de abastecimento de água, destaca Chieppe.

Mais ações

Outras ações estão programadas para apoiar os municípios afetados. Capacitação das equipes de saúde das Prefeituras para identificação precoce das doenças relacionadas à água, envio de ambulâncias 4×4 do SAMU que foram doadas pelo Ministério da Saúde para serem utilizadas em locais onde as ambulâncias convencionais não conseguem chegar por conta das enchentes e vacinação da população contra tétano são algumas delas. Quando as águas baixarem, serão convocados os Guerreiros Contra Dengue, que reúnem voluntários, agentes de endemia e funcionários da Secretaria de Estado de Governo que vão atuar em um grande mutirão de limpeza, localizando focos do mosquito, aplicando larvicidas, recolhendo inservíveis e distribuindo guias de combate à dengue à população.

Solidariedade

Após a tragédia, o abrigo da igreja de Nossa Senhora das Graças, que está com 21 desabrigados recebeu boa quantidade de roupas e alimentos não perecíveis. Tudo isso com a ajuda de cerca de 30 voluntários que estão organizando a distribuição dos donativos. A comerciante Flavia de Paula, de 36 é uma das voluntárias. Ela disse que a avaliação da água é muito importante para que as doenças não surjam depois. Mesma opinião da dona de casa Josiane Pereira, de 21 anos, que perdeu tudo com as enchentes. Mãe de 4 filhos, o seu maior medo é que eles fiquem doentes por conta da água contaminada, “precisamos de ajuda e estas ações são necessárias para que a situação não piore”, revela.

Estado envia kit calamidade

Nesta quinta-feira (3/1), a Secretaria de Saúde foi contatada pela Prefeitura de Duque de Caxias e está liberando ao município um kit calamidade e 5 mil frascos de hipoclorito de sódio para atendimento à população afetada pelas chuvas. O hipoclorito é fundamental para a desinfecção da água para consumo humano. Cada kit tem capacidade para atender 500 pessoas e contém medicamentos para a atenção básica, antibióticos, hipoclorito de sódio e álcool, entre outros itens.

Três kits calamidade estão sendo enviados também à Região Serrana por determinação do secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes. Os municípios de Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis estão em estado de alerta por conta das chuvas. Além disso, para facilitar e agilizar o contato para apoiar as prefeituras, que estão com equipes recém-empossadas, haverá um subsecretário e um superintendente da Secretaria de Estado de Saúde responsáveis por cada um dos municípios, que incluem, além da Região Serrana, Angra dos Reis e Duque de Caxias.

 

Governo do Rio

0 comentários

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.