Padilha encerra mobilização contra aids no Carnaval do Rio de Janeiro

Para o estado, serão distribuídas 4,8 milhões de camisinhas, sendo 1,4 milhão de unidades para a capital
 

 

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, encerra neste domingo (10), no Rio de Janeiro, as ações de prevenção e conscientização das DST/aids no período de Carnaval. Com o tema “A vida é melhor sem aids. Proteja-se. Use sempre a camisinha”, a campanha pretende chamar a atenção para a diferença que faz o uso do preservativo na hora da relação sexual. Além do Rio de Janeiro, o ministro também participa de atividades em São Paulo, Recife, Olinda e Salvador.

 

 

Para a campanha do carnaval deste ano, o Ministério da Saúde distribuiu aos estados e municípios cerca de 73 milhões de camisinhas. Ao todo, até o final do ano, serão entregues no país outros 700 milhões de preservativos. Somente para o estado do Rio de Janeiro, no período do carnaval, serão 3,4 milhões, sendo 1,4 milhão de camisinhas para a capital.

 

 

FIQUE SABENDO – Durante o Carnaval, haverá também a ação “Fique Sabendo” em várias cidades do país. A ação visa aumentar o acesso da população àprevenção e ao diagnóstico oportuno, garantindo o direito à saúde, com sigilo e confiabilidade. Estima-se que no país, cerca de 530 mil pessoas vivam com o HIV e aids, sendo que 135 mil nunca realizaram o teste.

 

 

No Fique Sabendo, os foliões terão a oportunidade de realizar o teste para HIV, sífilis e hepatites B e C. Eles também recebem insumos de prevenção, como camisinhas, gel lubrificante e material informativo sobre essas doenças. Quem tiver o diagnóstico positivo, será encaminhado para os serviços de referência. O Fique Sabendo funciona o ano inteiro em ambulatórios; Unidades Básicas de Saúde; Centro de Testagem e Aconselhamento. Nas unidades móveis, o serviço é oferecido em locais como praças, feiras e eventos específicos, como o carnaval.

 

 

PÚBLICO ALVO – A campanha deste ano, que tem como público-alvo a população sexualmente ativa (15 a 49 anos), dá ênfase a um novo conceito, com mensagens sobre a gravidade da doença. O filme mostra que a aids não é como gripe e queimadura de sol, que podem ser curadas com tratamento médico. O vídeo alerta que os cuidados com a saúde, no caso do HIV, exigem acompanhamento pelo resto da vida. A campanha conta ainda com anúncios em outdoor, busdoor, taxidoor, esteiras de aeroportos, abrigos de ônibus e blimps, com o tema principal e a frase de apoio: “Proteja-se. Use sempre a camisinha”. Dois jingles de rádio também estão sendo veiculados, um em ritmo de frevo e outro de samba.

 

 

Pesquisas do Ministério da Saúde mostram uma redução no uso da camisinha em todas as faixas etárias, de 58% para 49% nas relações com parceiros casuais. “Mudar de tom é uma estratégia do governo para reverter a queda no uso da camisinha, principalmente no carnaval, período em que acontecem muitas relações casuais”, alertou Padilha. No Brasil, foram identificados 38,7 mil novos casos novos em 2011, com taxa de incidência de 20,2 por 100 mil habitantes. No mesmo ano, também ocorreram 12.044 mortes no país. No Rio de Janeiro, o número de casos registrados da doença foi 5.068 e a taxa de incidência de 31,5. O número de óbitos no estado fechou em 1.700, em 2011.

 

Agência Saúde 

0 comentários